Sair de casa cedo, esperar por 4 horas na fila em pé, com fome e celular com pouca bateria em troca de seis sanduíches por um preço imperdível, R$ 15 no total. Com pouco dinheiro -(orçamento de universitária)  e muita fome, enfrentei uma prova de resistência para fazer valer a minha Black Friday. 

Pelo preço, evidentemente, a fila estaria enorme, mas não imaginava tanto. Depois da primeira hora de espera (cheguei às 11h), a sensação era de que quase não saía do lugar. Muitas pessoas foram desistindo. Resisitir também significou passar por zoação: "Nessa fila não vai dar pra almoçar hoje”, tivemos de ouvir, mas confiamos!. 

A parte boa da espera foi o bate-papo e a troca de experiências com as pessoas desconhecidas que estavam no mesmo barco. “Pode rotear sua internet?” ou “Me empresta seu celular para fazer uma ligação?” “Me explica como é a promoção”. No final, todos já estavam fazendo piadas da própria situação.

Quase 14h, estômago nas cosas e nada de um sanduíche pra chamar de meu. Valeria a pena?

Já eram 15h quando veio o prêmio, em dose sextupla. Fiz valer a minha Black Friday.

* Sob supervisão de Cássia Eponine