Um dos redutos mais tradicionais do cinema no Brasil, o Petra Belas Artes lançou no início do mês uma plataforma de streaming com filmes clássicos, cultuados e alguns que recentemente saíram de cartaz das salas. Por meio do serviço, é possível se entreter com opções pouco contempladas nos circuitos de maior apelo comercial e plataformas de filmes e séries mais populares.

Dentro dos 160 filmes no cardápio do Belas Artes À La Carte há títulos como “Império dos Sonhos”, de David Lynch, “A Regra do Jogo”, de Jean Renoir, e “Contos da lua vaga depois da chuva”, de Kenji Mizoguchi, além da comédia “Uma noite em Casablanca”, estrelada pelos irmãos Marx.

O público pode também assistir cineastas consagrados como Akira Kurosawa, Ingmar Bergman, Jean-Luc Godard e Andrei Tarkovsky, além de películas emblemáticas na história do cinema, como “Intolerância”, de D.W. Griffith, o marco do expressionismo alemão “O gabinete do Dr. Caligari” e “Metrópolis”, de Fritz Lang.

“A ideia não é ter filmes difíceis, a ideia é ter filmes diferentes para quem procura por esse perfil”, explica André Sturm, idealizador do serviço e diretor de cinema. Em função disso, o acervo é dividido em categorias como comédia, drama, suspense, pelo país onde foi produzido e também sugestões, como de origem como “Todo cinéfilo precisa ver antes de morrer” e “Se você nunca viu um filme cult comece por aqui”. 

Até por isso, ao invés de um trailer, ao clicar no filme o espectador pode assistir a uma explicação de um membro da equipe do Belas Artes sobre o filme e o que o cerca, para ajudar a definir o que assistir. “Todos os filmes que estão em nosso streaming têm um motivo para estar lá”, diz André Sturm, que destaca “Bagdad Café” (“fez muito sucesso nos cinemas brasileiros na década de 80, para um filme alemão) e os 11 filmes de Éric Rohmer, um dos pais da nouvelle vague. “É gostoso de assistir, montado em cima das conversas dos personagens”, recomenda.

Há dois filmes de Sturm entre as obras, “Bodas de papel” e “Sonhos tropicais”. O cinema nacional também é representado pelo sucesso de bilheteria “Carandiru”, de Hector Babenco, baseado no livro de Drauzio Varella.

Coincidência
A montagem da plataforma de streaming do Petra Belas Artes surgiu no ano passado, mas só agora foi colocada em prática, coincidindo com a conveniência para o público órfão das telonas, diante do isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19.

André Sturm atribui a ideia à ausência desse catálogo em outros serviços de streaming, bem como à necessidade de estender o acervo para fora da metrópole paulistana.

Após o período gratuito que termina na semana que vem, o valor da mensalidade será de R$ 10,90.
“Pensei em fazer um Belas Artes digital, por ser um cinema muito querido por aqui, para quem não pode ir ao cinema o tempo todo e para quem é de fora”, acrescenta André Sturm, que adianta que toda semana quatro novos filmes entrarão em cartaz.

A plataforma Belas Artes À La Carte fica disponível gratuitamente até 15 de abril pelo www.belasartesalacarte.com.br