Na véspera do primeiro jogo da fase final da Liga Mundial, Bernardinho promoveu nesta terça-feira (16) uma mudança na lista de convocados da seleção brasileira. O treinador trocou o central Maurício Souza pelo líbero Alan antes da partida contra a Rússia, nesta quarta, em Mar del Plata.

Alan vai desembarcar na Argentina somente nesta quarta, antes do duelo com os russos. Bernardinho não justificou a mudança, mas deu a entender que não queria entrar na fase decisiva da competição com apenas um líbero da equipe, Mário Jr. Acabou reduzindo o número de centrais, que já contava com Lucão, Éder e Isac. A lista segue com 14 jogadores.

Ainda sem o novo convocado, a seleção fez seu primeiro treino em solo argentino nesta terça, após desembarcar em Mar del Plata na segunda. Como já havia feito ao fim da fase de grupos, Bernardinho reiterou as previsões de dificuldade nos próximos duelos, que vão valer vaga na semifinal.

"A equipe chega bem. Claro que tivemos altos e baixos naturais de mudanças, de testes, mas chega para essa fase leve, com um astral bacana, e as vitórias nos deram essa confiança. Mas é óbvio que estamos em uma final, onde estão as equipes mais fortes. Uma estreia contra a Rússia nem precisa falar muito. Gera uma ansiedade natural também pela disputa de vaga", avaliou o treinador.

O adversário desta quarta foi o algoz dos brasileiros na final olímpica de Londres, em 2012. Mas, desta vez, conta com um time renovado. Da decisão do ano passado, um dos poucos remanescentes será Dmitriy Muserskiy, grande responsável pela virada russa naquele jogo.

Mesmo em momento de reformulação, os russos continuam assustando os brasileiros. "Eles têm uma quantidade de jogadores excepcional. A base que vem jogando a Liga Mundial é a que está aqui, com alguns jogadores voltando de contusão, outros bem. Enfim, acho que é um time com características próprias. A dificuldade contra eles é sempre enorme", disse o técnico brasileiro.

Levantador titular da seleção, Bruninho também projetou jogos difíceis na fase final. "Agora começa um novo campeonato, sabemos que as melhores equipes estão aqui, mas a motivação é grande. Encarar a Rússia logo na estreia é bom para entendermos que nesta fase só temos pedreira pela frente. Temos que entrar com tudo nesse primeiro jogo, sabendo que do outro lado está a atual campeã olímpica e, por isso, não podemos vacilar em momento algum", afirmou.