Fomentar a leitura e, ao mesmo tempo, criar espaço para o convívio familiar. Estas são algumas das metas do projeto “Ler em Família”. O convênio foi assinado nesta sexta-feira (26), durante o segundo dia do 1º Festival Literário Internacional de Belo Horizonte (FLI-BH), no Parque Municipal. O investimento inicial será de R$200 mil, oriundos do Fundo Municipal para Criança e Adolescente.
 
Segundo a coordenadora do FLI-BH Fabíola Ribeiro Farias, o programa deverá entrar em execução ainda neste ano e será destinado a crianças de 0 a 6 anos. “A proposta é melhorar a infraestrutura de bibliotecas públicas de seis centros culturais da cidade para receber as crianças e as suas famílias”, diz.
 
Influência 
 
A secretária Municipal de Educação, Sueli Maria Baliza Dias, destacou a importância da família no que diz respeito ao estímulo da leitura. 
 
Segundo ela, a pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, de 2007, aponta que a mãe era a que mais influenciava o filho a ler. “Em 2011, essa mesma pesquisa apontou a professora como a maior influenciadora à leitura. Isso só confirma como a cultura e a educação são indissociáveis”, frisa.
 
Samuel Nunes da Silva, de 10 anos, aluno da Escola Estadual Padre João Botelho, é prova viva do que disse Sueli. Entusiasmado com o livro que adquiriu com o seu vale, ele conta que aprendeu a gostar de ler com os seus pais e na escola. “Comprei o livro ‘Cira e o Velho’. Gosto muito de ler”, orgulha-se.
 
Recado importante
 
Durante a solenidade, o prefeito Marcio Lacerda convidou a sua esposa, Regina Lacerda, a falar em seu nome. Ela, que é formada em Psicologia e tem, desde nova, laços fortes com a leitura, fez questão de deixar um recado para as crianças.
 
“Muitas vezes na vida, vocês verão coisas absurdas e vão ouvir coisas mal colocadas. E, mesmo não entendendo tudo, vocês vão sentir que tem algo de errado ali. (...) Então, na hora que tiver muito difícil, pega o seu livrinho, não para fugir da situação, mas para entrar na questão de forma mais leve e entender a sua responsabilidade. Essa é a arma da qual vocês precisam; façam bom uso dela e apresente-a para a sua família, falem para eles que este é o caminho”, afirmou. 
 
Também participaram da solenidade o presidente da Fundação Municipal de Cultura Leônidas Oliveira, a secretária Municipal de Políticas Sociais Luzia Ferreira e a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Belo Horizonte Márcia Alves. 
 
Programação
 
Neste sábado (27) o festival terá início às 9h, com narração de história. À tarde, haverá o espetáculo teatral “Uma Professora Muito Maluquinha”, a partir da obra de Ziraldo. À noite, será a vez do encontro entre o Sarau da Partilha e o Sarau das Cachorras. As atividades acontecem no Parque Municipal e são gratuitas.