Os torcedores de Atlético e Cruzeiro que quiserem acompanhar as partidas da decisão da Copa do Brasil terão que desembolsar um valor nada camarada para ir ao estádio: de R$ 200 a R$ 700.
 
O sorteio realizado nessa quinta-feira (6) pela CBF definiu que o primeiro jogo da decisão, na próxima quarta-feira, terá mando de campo do Atlético, que escolheu exercê-lo no Independência. A carga de ingressos ainda será definida pelo clube alvinegro, mas vai girar entre 20 mil e 22,9 mil unidades no Horto.
 
Já para o jogo de volta, que será disputado no próximo dia 26, no Mineirão, com mando do Cruzeiro, a carga de bilhetes foi definida pela diretoria celeste em 61.140 ingressos.
 
Com os preços anunciados para os bilhetes, a arrecadação dos dois jogos, somada, tem tudo para superar a casa dos R$ 20 milhões.
 
Como comparação, vale lembrar que a renda de Atlético e Olímpia pela final da Libertadores de 2013, no Mineirão, alcançou R$ 14,1 milhões. Os preços dos ingressos variaram de R$ 100 a R$ 600.
 
Essa renda tende a ser superada pelo segundo jogo da final, com mando de campo cruzeirense. E a arrecadação no Horto deve ser acima de R$ 5 milhões. 
 
Apesar de o potencial de renda no Mineirão ser bem acima, o presidente do Atlético, Alexandre Kalil, encontrou argumentos para a opção pelo mando no Independência. 
 
De acordo com Kalil, a decisão de jogar no Independência foi meramente técnica. Para ele, a questão financeira fica para segundo plano e o título é a prioridade do clube. Decisão que encontra eco entre os atletas, como o atacante Luan. 
 
“Nossa casa é o Independência. No Mineirão a gente teve as alegrias (título Mineiro e Libertadores de 2013 e Recopa de 2014) e jogos emocionantes, mas o presidente (Alexandre Kalil) está certo nessa decisão de querer jogar no Horto. Vai ser fundamental jogar lá para a gente conquistar um grande resultado e levar para o Mineirão, onde também sabemos jogar. É o nosso salão de festas, né? Como diz o torcedor” disse o camisa 27 alvinegro.
 
Torcida única?
 
Uma reunião na sede da Federação Mineira, nesta sexta-feira (7), entre as diretorias dos dois clubes e autoridades de segurança, vai definir oficialmente se os jogos terão torcida única, isto é, apenas atleticanos no Independëncia e cruzeirenses no Mineirão. Esta é a tendência. 
 
“Está completamente descartada a chance de haver torcida dividida nas duas finais. Queremos evitar dor de cabeça depois”, disse o presidente do Cruzeiro, Gilvan Tavares. 
 
O diretor de futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos, acredita que esta é mesmo a escolha mais correta: “O que nós queremos é ter tranquilidade, fazer espetáculo dentro de campo, e a torcida que comparecer festejar com muita paz”.
 
Torcedores recebem os heróis em Confins
 
O avião do Cruzeiro partiu de Congonhas, em São Paulo, para Confins carregando na mala a classificação para a final da Copa do Brasil. 
 
Apesar do atraso de 50 minutos em relação ao horário programado para a chegada, a euforia da torcida que compareceu ao aeroporto da região metropolitana não esmoreceu. 
 
Os jogadores celestes foram recebidos como guerreiros após o empate na Vila Belmiro e ouviram incentivos da China Azul.
 
Fábio e Willian foram os mais assediados pela torcida, e a Polícia Militar teve trabalho para fazer a escolta deles até o ônibus da delegação celeste. 
 
Cerca de 300 torcedores uniformizados compareceram à entrada da sala de desembarque. 
 
Com batuque, apito e buzina, eles transformaram o local em uma pequena parte do Mineirão.
 
Para o diretor de futebol do Cruzeiro, Alexandre Mattos, a vaga na final é resultado de um trabalho épico da diretoria. “Acho que Deus nos coroou e a gente vem há algum tempo, um ano e dez meses, fazendo um trabalho épico, com muita seriedade, que estamos tentando buscar essas conquistas para coroar tudo que estava acontecendo”, afirmou o dirigente.
 
Os jogadores da Raposa foram liberados pela diretoria e voltarão aos trabalhos, visando ao jogo do Criciúma, na tarde desta sexta-feira. 
 
Duas situações chamarão a atenção. O atacante Willian ainda acusa um incômodo nas costelas, e o zagueiro Dedé será avaliado no joelho direito e tem sua participação no resto da temporada ameaçada. Dedé se contundiu ainda no primeiro tempo do jogo na Vila Belmiro, e acabou substituído por Bruno Rodrigo.
 
Ingressos com preços salgados
 
Os alvinegros, mandantes do primeiro duelo, encontrão ingressos a preço mínimo nos portões 5 e 7 do Independência, e a preço máximo na área VIP. 
 
No entanto, outros valores estarão disponíveis para os atleticanos. Nos portões 2, 3 e 6, o preço é de R$ 400, e no portão 9 o ingresso sairá a R$ 600 reais. Já os cruzeirenses , para o segundo jogo, terão ingressos no preço mínimo nos setores amarelo e laranja inferior e no preço máximo no setor vermelho inferior.