Neste sábado (8) e domingo (9), o Boogarins estará em Belo Horizonte para uma dobradinha de shows que faz parte da turnê de “Sombrou Dúvida”, quarto disco de estúdio da banda de indie rock psicodélico... Opa! Corta!
 
Tudo estava indo bem nessa sentença até aparecer a palavra “psicodélico”, termo constantemente utilizado para rotular o grupo de Goiânia, mas que limita o conteúdo que permeia as dez faixas do mais recente álbum. Quem atesta é o baterista Ynaiã Benthroldo, em entrevista ao Hoje em Dia.
 
“Não concordo (com o termo ‘psicodélico’), mas acabo aceitando-o de forma tranquila (risos). O ‘Sombrou Dúvida’ transita por vários estilos. Tem músicas pop, rock clássico, guarânia, viola, coisas que beiram regionalismos”, relata Benthroldo, integrante do Boogarins desde a turnê de “Manual, ou Guia Livre de Dissolução dos Sonhos” (2015), segundo trabalho do grupo, indicado ao Grammy Latino de melhor álbum de rock em língua portuguesa.
 
Esse mosaico musical será apresentado neste fim de semana na capital mineira. Inicialmente, aconteceria apenas um show, no sábado. Mas em função da grande procura por ingressos – os bilhetes para esse dia estão esgotados –, a banda abriu uma nova data, no domingo. A abertura fica a cargo de, respectivamente, Dedé Santaklaus e Cães da Madeira.
 
“Os ingressos estão voando, não é mesmo? Desde a primeira vez que fomos para Belo Horizonte, nos sentimos abraçados pelas pessoas. Espero que possamos passar pela cidade mais vezes ainda este ano. Faremos um show no Circo Voador, no Rio, no dia 7 (sexta) e já vamos direto para BH. Quando chegarmos, vamos recarregar nossas energias com essa culinária maravilhosa”, relata Benthroldo.
 
Belo Horizonte, aliás, tem um significado especial para o baterista, natural de Cuiabá-MT. “Vou muito a Belo Horizonte desde criança, porque minha mãe é mineira, de São Domingos do Prata. Tenho familiares no Estado, já viajei por vários lugares bonitos de Minas. Morei um tempo aí em BH. É a segunda cidade em que toquei fora do meu Estado. A primeira foi Goiânia, depois foi BH, em um show na Obra. É uma cidade-referência nas artes e com planos de execução cultural muito interessantes”, comenta.
 
Repercussão. Gravado no estúdio Space Atx, em Austin, Texas (EUA), “Sombrou Dúvida” chegou às plataformas digitais no dia 10 de maio deste ano. Desde então, a repercussão vem sendo extremamente positiva, como conta Benthroldo.
 
“Temos recebido feedback positivo nas redes sociais e das pessoas que têm ido aos shows. Com relação à turnê, teremos shows no Brasil até o final de junho. Vamos para a Europa de julho a meados de agosto. Voltamos para o Brasil, e estaremos presentes no festival Bananada (em Goiânia, em agosto). Em seguida, estenderemos a turnê para os EUA, em setembro, e novamente retornaremos ao Brasil. Diferentemente de ocasiões passadas, optamos por começar esse giro no nosso país”, destaca.
 
Passado. Lolapalloza, Rock in Rio Lisboa, Levitation, de Vancouver, Virada Cultural de São Paulo, Coachella (ao lado de artistas como Beyoncé e Eminem), nos Estados Unidos... A lista de festivais em que o Boogarins marcou presença vai além. Uma das mostras de reconhecimento do mercado fonográfico ao grupo, que ganha cada vez mais os holofotes em várias partes do mundo. Detalhe: cantando em português.
 
“Fizemos uma turnê em 2017 nos EUA, com uma banda sueca, em que nenhum dos dois grupos cantava em inglês. A gente cantava em português, e o outro grupo, em sueco. E foi maravilhoso, as casas estavam todas cheias, e ninguém provavelmente entendia o que estava sendo cantado. O público adorou, comprou vinil, camiseta... Mudei minha visão do mundo por meio da vivência que a música nos acrescenta”, conta.
 
Futuro. Se mantiver a tradição, de confeccionar um disco a cada dois anos, o Boogarins dará à luz a seu quinto rebento em 2021. Embora não faça previsões quanto a isso, Ynaiã Benthroldo admite que a banda já está em processo de criação para novas músicas.
 
“A gente faz e planeja muita coisa, mas o futuro é muito incerto. Queremos apresentar o ‘Sombrou Dúvida’ para o máximo de pessoas possíveis. Começamos a gravar algumas coisas nos EUA já. Mais para frente voltaremos para lá novamente para gravar mais. Mas o momento de agora é aproveitar o novo disco”, finaliza.

SERVIÇO
Boogarins n’A Autêntica 
Rua Alagoas, 1.172, Savassi, sábado (8), às 22h, e domingo (9), às 18h. Ingressos para domingo a partir de R$ 40