Uma hora é o tempo cronometrado que o comediante Bruno Motta tem para narrar a história da humanidade, em 15 quadros, com ritmo acelerado, da era dos homens das cavernas e suas tribos até o contexto contemporâneo do mundo digital. Esse é o formato do stand-up do artista, que terá apresentação única em Belo Horizonte na noite deste domingo (1º), no Teatro Sesiminas.

O humorista apresenta “1 Milhão de Anos em 1 Hora” pela primeira vez fora de festivais em Belo Horizonte, cidade natal dele. A peça é uma adaptação do monólogo “Long Story Short”, do comediante norte-americano Colin Quinn, que estreou em 2010 e foi dirigido por Jerry Seinfeld na Broadway. 

Há cerca de sete anos Bruno viu o espetáculo lá e se encantou, em especial com a abordagem às histórias de duas civilizações milenares, os gregos e os romanos. “Eram muitas piadas em pouco tempo, gostei tanto que assisti duas vezes e desde então recomendo esse show”, lembra Bruno, que pediu autorização a Colin Quinn para adaptar a performance e fazer a primeira versão fora dos EUA.

Há cinco anos Bruno Motta se apresenta com essa releitura no Brasil, e já perdeu as contas de quantas vezes subiu ao palco. “Sabia esse número até chegar em 100 apresentações, agora já não tenho ideia”.

O trabalho conta com uma equipe de peso na cena cômica brasileira. O texto é de Marcelo Adnet e a direção fica por conta de Cláudio Torres Gonzaga. “Fazemos uma viagem pelo mundo, uma visita a outras culturas que têm um cara como o Cláudio, que gosta da cultura mais clássica, Itália e França, e o Adnet, que curte culturas mais exóticas, é fascinado com a Bósnia. Então há essa mistura de visões de dois comediantes geniais”, complementa o humorista mineiro.

Se a versão original durava 1h40, a nacional fica em 60 minutos, marcados por um relógio no palco. Um desafio cronometrado que nunca o comprometeu. “O único contratempo foi quando o relógio falhou, mas aí havia gente na plateia controlando os minutos também”.

Serviço: 1 Milhão de Anos em 1 Hora - Domingo (1º de setembro) - 19h R$ 70 (inteira) / R$ 35 (meia) - Teatro Sesiminas (Padre Marinho, 60)