Belo Horizonte poderá conferir, no próximo sábado (19), o show de lançamento do quinto álbum da cantora Céu, no Sesc Palladium. Em “APKÁ!”, a voz doce é o denominador comum de diferentes estilos (ecletismo que ela atribui à pluralidade característica da cidade de São Paulo) que perpassam temas distintos, em um trabalho oriundo da gestação do segundo filho da artista.

“Não é um disco que fala de maternidade, mas embebido desse perfume. Foi um momento tão intenso e que ainda é socialmente tão mal visto, de muita dificuldade, que estabelece um vínculo com um lado mais primitivo nosso, da potência feminina”, afirma a cantora paulista. 

Tal perfume se confirma pela escolha do nome, uma onomatopeia do som que o caçula Antonino, de 1 ano e meio, costumava exclamar para expressar satisfação, e que virou um idioma próprio entre ele e a irmã, Rosa, de 10. “Hoje em dia ele fala menos, é mais quando a vê, daí ela responde ‘APKÁ!’ e os dois riem”, diverte-se a cantora de sucessos como “Varandas suspensa” e “Malemolência”, que estarão no repertório da apresentação do fim de semana, quando ela promete passear um pouco por cada um dos álbuns anteriores da carreira.

Céu

Céu promete um show divertido e dançante

Forma e conteúdo

O álbum “APKÁ! não percorreu o mesmo trajeto de composição de trabalhos anteriores, como “Tropix” e “Caravana Sereia Bloom”, um processo que Céu deixou em aberto. “Este foi acontecendo um dia após o outro, de dentro para fora. A unidade não era uma preocupação”

Os ritmos sintéticos embalam a maioria das canções, desde “Coreto”, que já ganhou formato de videoclipe junto com o lançamento do álbum, até a parceria com a dupla Tropkillaz em “Eye Contact”.

“O beat digital é algo que uso desde sempre. O primeiro disco é menos eletrônico, mas banhado de baterias eletrônicas”, ressalta a cantora. Céu faz uso do recurso para expressar a realidade política do Brasil em “Forçar o verão”, em um lamento que parafraseia o Hino Nacional. “O cenário político começou a se deteriorar para mim com a queda da Dilma (Rousseff). E uma nuvem se aproxima do cartão postal”. 

Em “Fênix do amor” ela remonta a lembranças dos tempos de menina, com as tristezas e desejos que a acompanham em sua trajetória para se permitir renascer e sentir mais leve. 

“Eu faço análise e recomendo a todo mundo fazê-lo. É importante para não virarmos esse imbróglio todo porque não é fácil tudo o que vivemos. Somos seres que sentem”, filosofa.

Escute o disco:

Serviço
Show de Céu Lançamento do álbum APKÁ! 
Quando: Sábado (19), às 21h
Onde:
 Sesc Palladium (Rio de Janeiro, 1046 -Centro de BH)
Quanto: R$ 80