Não se trata de religião. Tampouco, precisa-se de espaço e tempo exclusivos para praticá-la. Estes, inclusive, devem ser os primeiros mitos a serem quebrados quando o assunto é meditação. Exercício eficiente para acalmar a mente, meditar pode ajudar a aliviar tensões psicológicas como ansiedade e depressão, conforme aponta pesquisa feita pela Universidade Johns Hopkins, em Baltimore (EUA), publicada pela Harvard Medical School, no ano passado.

Para quem está à espera de uma oportunidade para começar a praticar, a boa notícia é que nesta quinta-feira (23) terá atividades em plena Praça 7, centro de BH. E de graça. No lançamento da campanha “Medita BH”, instrutores da Organização Internacional Brahma Kumaris vão ensinar uma das técnicas de meditação de 9h às 17h.

“Queremos mostrar que não importa onde a pessoa esteja; ela pode se desligar do mundo externo e ter uma experiência de paz”, diz Marli Medeiros, uma das professoras da instituição.

Ela esclarece também que a linha seguida pela Brahma Kumaris não está ligada ao Budismo ou a qualquer outro tipo de crença religiosa específica. “Trabalho com isso há mais de 30 anos e sei que ainda há muita gente que acha a meditação uma coisa mística. Na verdade, meditar significa estabilização dos pensamentos”.

Benefícios

De acordo com Marli, para praticar a Raja Yoga ( modalidade baseada na experiência do controle da mente e dos sentidos) não é necessário fechar os olhos e sentar-se na posição de lótus (com as pernas cruzadas); basta parar e se concentrar. “A pessoa pode meditar até no trabalho. Já os olhos permanecem abertos porque não é necessário fugir da realidade. Também não se trata de uma técnica de respiração. Ensinamos as pessoas a meditar levando o pensamento para o lado positivo”, diz.

Isso é possível, explica a professora, por meio das perguntas feitas durante o curso, como: “quem sou?”; “como funciono internamente?”; “quem é Deus e como usufruir desta fonte?”; “como ter paz, amor e felicidade?”; “como os meus pensamentos repercutem?”; e “como desenvolver minhas qualidades?”.

Entre os benefícios, paz, tranquilidade, equilíbrio, diminuição do nível de depressão. “O fato de te deixar calmo não quer dizer que te deixará mais frágil. Pelo contrário, você vai encontrar mais força para enfrentar situações de pressões, violências e crises, tão frequentes”.

Aluna aplicada

Quem aderiu à prática confirma. “Construí uma nova visão de mundo, uma nova consciência. Hoje, sou mais paciente, segura e amorosa”, afirma a professora aposentada Lourdes Alves dos Santos, de 69 anos.

Adepta da Raja Yoga há 10 anos, ela recorreu à meditação devido a uma certa inquietação interior. “Com o tempo, passei a entender melhor o outro e a me aborrecer menos. Agora, dou mais valor à vida espiritual e menos a coisas externas, como a aparência física”.

Ponto a Ponto

Meditação básica do Dr. Herbert Benson, da Harvard Medical School, para você começar agora mesmo:

1 – Sente-se calmamente e feche os olhos. Respire lentamente.

2 – Relaxe todos os seus músculos, começando com os pés, pernas e coxas. Encolha os ombros, passe o pescoço para a esquerda e direita.

3 – Em cada respiração “para fora”, diga a palavra “paz”.

4 – Quando os pensamentos vierem à mente, decida voltar a eles mais tarde, e repita a palavra “paz”.

5 – Continue o exercício por pelo menos 10 minutos. Repita-o diariamente.

Meditação leva artista visual a buscar suas raízes

Campanha “Medita BH” ensina exercícios de graça na praça 7 e desmitifica prática

Enquanto fala à reportagem do Hoje em Dia sobre os benefícios conquistados com a meditação, Matheus Alves (ou Mestiço, como prefere ser chamado), 27 anos, desce o rio Negro, na Amazônia, dentro de uma voadeira (espécie de barco). “Estou completamente emocionado. Acabei de sair de uma tribo, numa viagem completamente meditativa, de reconexão com as minhas origens e de encontro ao que me faz ser o humano de hoje”, afirma.

Mineiro de Bocaiúva, Matheus conta que a ligação com a Amazônia se deve ao período em que morou em Manaus. “Me mudei para lá aos 4 anos de idade. Depois passei um tempo em Montes Claros, Brasília, Piracicaba, Belo Horizonte e agora moro no Rio de Janeiro”, diz o artista visual.

Justamente por ter sido de tantos lugares, o jovem resolveu ir, este mês, em busca das próprias raízes – decisão que tem tudo a ver com a meditação, prática adotada quando ele tinha 15 anos. “Meditar, para mim, é uma viagem interior, que busca alinhar e equilibrar o ser com o meio em que vive”.

Mudança

Realizando o Pranayama, exercício para “expansão da bioenergia do corpo, por meio da consciência respiratória, que vem do Yoga antigo”, Matheus assegura ter adquirido uma nova compreensão sobre a vida.

“Passei a me compreender muito melhor, a ouvir mais, entender melhor as coisas, o que é diferente de aceitar, de ser passivo. Pelo contrário, me questiono cada dia mais, não só com o que me envolve, mas com relação ao próximo, que busco sempre ajudar. E muito disso é pelo silêncio, pela observação e contemplação, hábitos trazidos pela meditação”, garante.

‘Havia educado o meu corpo, mas não a minha mente’

 

carla meditação

Carla prefere ficar na posição de lótus e criou, em casa, um ambiente propício para meditar (Foto: Ricardo Bastos/Hoje em Dia)

Carla Faria, 44 anos, tem uma rotina frenética. Educadora física e dona de uma academia, um belo dia se pegou “fazendo mil coisas” ao mesmo tempo. “Percebi que precisava buscar uma atividade mais calma”, afirma. A tranquilidade de que precisava, Carla encontrou na meditação, há aproximadamente dez anos.

“Havia aprendido a educar o meu corpo, mas não a minha mente. Agora, tenho mais equilíbrio interior”, diz. A educadora conta que isso só foi possível porque aprendeu a se programar mentalmente. “Além disso, sou menos insegura, tenho menos ansiedade e consigo enfrentar melhor situações difíceis. Também sou uma pessoa mais focada e me concentro melhor nas atividades que desempenho”, frisa.

Carla explica que não usa apenas uma técnica de meditação. “Aprendi a meditar num curso, que continuo frequentando. Mas eu mesma também desenvolvo o meu roteiro, utilizo CDs, DVDs, tento variar a meditação”, esclarece.

Veja alguns famosos que aderiram à meditação: