A música é indissociável da vida de Laura Catarina. A cantora mineira carrega a canção em seu DNA e em sua trajetória: da música gravada com o pai Vander Lee, quando ainda tinha nj anos (sua primeira experiência musical) até seu disco de estreia, “Amor Em Si”, trabalho que ela lança amanhã no Teatro Sesiminas.

Para a empreitada, que marca o nascimento da cantora como uma artista solo (antes disso, ela foi vocalista da banda Dom Pepo), Laura mergulhou em suas experiências e decidiu explorar o maior dos sentimentos: o amor. “Acredito que ele transforma muito a vida”, pontua a cantora, que assina sozinha oito das 12 faixas do álbum. “Esse disco tem músicas de 2013, 2014, mas também de 2016 e 2017. Ele traz um tempo e acredito que, de alguma forma, estou propondo a tradução do universo do amor na minha vida, as minhas vivências com esse sentimento, com a vibração”, diz a cantora.

Permeado pelas vivências da cantora, o disco ainda aborda a perda do pai, em 2016, com quem ela morou por três anos e foi figura determinante em seu rumo para uma carreira musical. No trabalho, o pai é a inspiração de “Deságua”. “A música veio como se fosse limpando o meu coração daquilo que eu estava sentindo e também nutrindo muito amor”, lembra.

Composição

Não foi apenas no processo de luto que a composição foi significativa para a cantora. Para ela, toda produção e composição do disco foi como uma jornada de auto cura. “Isso foi muito forte, porque eu só conseguia sentir que determinada música estava pronta quando eu conseguia integrar aquele sentimento no meu coração, na minha vida. Quando eu conseguia entendê-lo”, conta, que além do amor romântico, explora temas como amizade e o cuidado-próprio.

Se a composição funcionou quase como uma terapia para Laura, ela tem um propósito semelhante quando direcionada ao público. “Algumas pessoas dizem que o CD é como um mantra. Ele traz a energia da musicoterapia, trazemos muito essa questão de trabalhar com o som de uma forma que seja confortável e prazerosa de ouvir”, confessa ela, que levou esta intenção também para seus vocais. “Cantei com doçura, como se fizesse uma declaração de amor em todas as músicas”, diz.

Ainda em relação ao som do disco, a cantora se abre para diversos gêneros. “No disco tem baião, xote, música pop, eletrônica, referências mais alternativas e MPB, além de batidas do congado, que trazem essa coisa da africanidade”, enumera.

Prestes a apresentar seu repertório ao vivo, a cantora adianta suas expectativas para o show, que contará com arranjos mais orgânicos e cenografia do Grupo Giramundo. “O que eu proponho é que seja uma experiência de beleza, alegria, inspiração e emoção para mim e para todos, levando para frente a arte porque acredito que ela tem o poder de curar muitas coisas no mundo. Pelo menos para mim curou”, diz.

Serviço: Laura Catarina lança seu primeiro disco “Amor em Si”, amanhã, às 21h, no Teatro Sesiminas (Rua Padre Marinho, 60 – Santa Efigênia, Belo Horizonte). Ingressos: R$ 30 (inteira), R$ 15 (meia)