Se você nunca ouviu falar de Sofia Oliveira, saiba que o trabalho da moça tem mais de 125 milhões de visualizações só no YouTube. Com apenas 17 anos, a curitibana conquistou a rede com versões acústicas de canções já consagradas. Não é, contudo, a única artista que conseguiu arrebatar multidões na web. Devido à dificuldade de “entrar” no mainstream, muitos cantores têm buscado lugar ao sol via plataformas digitais.

Sofia se “lançou” na internet em 2014. Para não ser só mais uma no meio de um monte, inovou. “Veio a ideia de criar uma cup song (música com a batida de copos) de ‘Blá, blá, blá’, da Anitta. Já tinha visto americanos fazerem isso, mas não tinha visto brasileiros fazerem na internet. Postei no Facebook. Fui dormir e acordei com o vídeo viralizado”, recorda. No YouTube já são mais de 4 milhões de views. 

Apesar de ter feito o post já na esperança de se tornar conhecida, Sofia confessa que não esperava um retorno tão rápido. “Foi uma surpresa grande. Não estava acreditando no que estava acontecendo, não estava preparada para aquilo, para essa responsabilidade de ser conhecida na internet. Isso ainda me assusta um pouco”, entrega.

Não demorou para que as gravadoras se interessassem pela moça. Sofia fez uma parceria com a Um Music, no meio de 2016, quando gravou “Você Foi Moleque”. Mas foi no fim do ano que deixou de ser cantora independente ao assinar com a Warner Music. “Chegou uma hora que eu queria ter música autoral e não só fazer cover.

“Eu Te Amo”, clipe lançado no canal dela, já faz parte da nova parceria. Agora ela prepara um CD pop e uma turnê para ainda este ano. “Se eu tocar hoje numa rádio, as pessoas não vão saber quem eu sou. Quero começar a fazer shows, conquistar o público off-line e, depois, quem sabe, ter uma carreira no exterior também”, almeja.

SOFIA OLIVEIRA, cantora
SOFIA OLIVEIRA – Meses após criar o canal, a jovem foi convidada a fazer uma cup song de “Meteoro”, de Luan Santana, no “Legendários” (Record), onde conheceu o sertanejo

 

Isadora Pompeo

Pelo menos no mundo online, a expectativa é de continuar crescendo, tanto que Sofia é uma das apostas da Deezer, serviço global de streaming de música, para este ano. A gaúcha Isadora Pompeo, de 17 anos, também é uma das poucas apostas da plataforma. A cantora tem feito sucesso com covers de canções gospel. Atualmente, ela tem mais de 45,6 milhões de visualizações no YouTube. No Facebook, são mais de 1 milhão de seguidores. 

Ao contrário de Sofia, a fama de Isadora não veio da noite para o dia. No começo, ela cantava só músicas seculares – isto é, fora do universo gospel – e não era tão vista como hoje. “Quando decidi contar para todo mundo essa minha realidade (ser cristã), que iria passar a cantar só para Jesus, as coisas começaram a acontecer. O canal estourou e recebi muitas propostas”, diz. 

Apaixonada por música desde criança, Isadora conta que já fez mais de 200 composições. Algumas delas já estão disponíveis para o público no canal da Musile Records, gravadora com a qual assinou contrato recentemente. Até o fim deste semestre, a artista deverá lançar seu primeiro disco. Ao todo, serão oito faixas – sete compostas por Isadora e uma pelo seu produtor musical, Hananiel Eduardo, intitulada de “O Nome de Jesus”. 

Sobre o que quer para o futuro, contudo, a jovem diz não fazer muitos planos. “Só quero fazer o que Deus trouxer para mim”. 

 

GABI LUTHAI – O segundo disco foi feito com crowdfunding
GABI LUTHAI – O segundo disco foi feito com crowdfunding

 

A mineira Gabi Luthai escolhe manter carreira independente após fama

A mineira de Araxá Gabi Luthai, de 23 anos, é outra que arrebanhou milhões de fãs na internet. No Facebook, são mais de 3,3 milhões de seguidores. A virada ocorreu, porém, no YouTube, onde soma hoje 1,7 milhão de inscritos e 150,2 milhões de views. Ela se inscreveu na plataforma inspirada por Justin Bieber. 

O cantor pop ficou conhecido depois que a mãe, Pattie, postou, em 2007, vídeos no qual ele aparecia cantando covers. “Na época, o YouTube nem era tão conhecido ainda. Postava poucos vídeos, mas saía mandando para todo mundo pelo Facebook”, lembra Gabi.

Paralelamente, a garota fez uma conta na Ask.fm, rede social onde é possível mandar perguntas anonimamente ou não para amigos e também desconhecidos para que eles respondam. “Mandava pergunta para mim mesma, do tipo: ‘você canta’ e respondia em vídeo. Fui ficando popular nessa rede”, diz.

O canal de YouTube da cantora só começou a decolar mesmo anos depois. “No Carnaval de 2013, postei uns quatro vídeos e tive muitas visualizações”. No ano seguinte, a mineira assinou contrato com a Sony Music e lançou o primeiro disco. 

O mineiro Gabriel Elias é outro famoso na web. O rapaz tem mais de 13,8 milhões de visualizações no YouTube e mistura pop, reggae e surf music

Ela, porém, não quis continuar com a gravadora e agora segue como cantora independente. “Acredito muito mais que um escritório faça um bom trabalho do que uma gravadora. Além disso, é muito burocrático o processo com uma gravadora”, avalia.

Futuro
Pensando dessa forma, Gabi optou por crowdfunding (vaquinha na internet) para fazer o segundo trabalho. Com o nome de

“Eu Gosto Assim?”, o álbum foi lançado no ano passado. “Agora, estou dando um tempo para pensar em coisas novas”, afirma.

O que a jovem tem certeza é que não vai parar de fazer covers na web. “Jamais vou parar com os covers porque não terei música autoral toda semana, ficaria, então, sem conteúdo no canal. E, mesmo se tivesse sempre uma música inédita, ela deixaria de ser especial se lançasse assim todas as vezes”, acredita.

Também faz parte dos planos gravar um DVD. “Quero muito. Mas quero mais estabelecer metas com prazos mais curtos”, pontua ela, ao dizer que deve iniciar uma turnê ainda este ano. 

 

GABRIEL GUEDES – Para o cantor gospel, canal virou um ministério
GABRIEL GUEDES – Para o cantor gospel, canal virou um ministério

 

Gabriel Guedes desponta no cenário gospel

Com cerca de 225 mil inscritos no YouTube, o paulista Gabriel Guedes, de 24 anos, tem tudo para decolar na web. O cantor gospel acaba de bater 18 milhões de visualizações no canal criado no fim de 2014. 

A história do rapaz na web, no entanto, iniciou bem antes. Entre 2010 e 2011, ele resolveu criar um canal para o ministério de louvor da igreja da qual faz parte em Guarulhos (SP). “Não era uma coisa super visualizada”, recorda.

Já com experiência de edição em material audiovisual, ele foi gostando da ideia e mais tarde veio o canal solo. A princípio, porém, Gabriel diz ter feito tudo de maneira despretensiosa. “Não tinha o objetivo de ter tanto inscritos. Foi meio na brincadeira”, afirma.

Hoje, as coisas mudaram um pouco. “Todos os dias recebo mensagens de pessoas dizendo que foram tocadas por Deus ao ouvir minhas canções e isso virou um ministério para mim”, relata. 

Nascido em lar cristão, Gabriel conta que nunca “cantou por cantar”, o que, talvez, seja o segredo do sucesso do rapaz. “Embora o canal tenha começado sem grandes pretensões, sempre pensei que Deus poderia usar aquilo para tocar as pessoas”, afirma ele, que assinou, no fim do ano passado, contrato com a gravadora mineira Onimusic. “Gravei um álbum que está só em plataformas digitais. O disco possui as dez primeiras músicas que postei no canal. Por demanda das igrejas, devo lançar o CD físico nos próximos dias”, adianta. 

JÃO – Aposta na diversidade: de Adele a Anitta, sem dispensar a música sertaneja
JÃO – Aposta na diversidade: de Adele a Anitta, sem dispensar a música sertaneja

 

Jão
Outro paulista que está começando a deslanchar no YouTube é Jão, de 22 anos. Há menos de um ano, ele criou o canal que já soma 4,6 milhões de visualizações. “Sempre cantei e queria uma forma de divulgar meu trabalho. Em março de 2016, fiz um cover de ‘Bang’, da Anitta, e teve um número grande de likes no Facebook”, conta.

No canal, tem versões acústicas de diversos artistas, desde “Send My Love”, de Adele, a “Medo Bobo”, de Maiara e Maraisa. “Gosto de cantar coisas diferentes. O sertanejo mesmo eu não ouvia tanto antes e recentemente coloquei as músicas (do gênero) na minha playlist. Mas sempre faço uma coisa mais romântica”, diz. 

Jão ainda não fechou contrato com nenhuma gravadora, mas diz ter recebido convites. “Estou focando no on-line para, depois, ir para o off-line, fazer shows, gravar músicas”.

Boyce Avenue virá a BH em junho

Exemplos de artistas que se consagraram após sucesso na web não faltam. O grupo norte-americano Boyce Avenue, por exemplo, soma mais de 3 bilhões de visualizações e 9 milhões de inscritos na plataforma digital. Com três álbuns lançados – “All You’re Meant to Be” (2008); “All We Have Left” (2010) e “Road Less Traveled” (2016) – a Boyce Avenue já levou para shows mais de 500 mil pessoas de 20 países diferentes. Entre os três álbuns, eles gravaram 16 EPs e um disco ao vivo. Agora, eles desembarcam pela primeira vez em BH, onde farão show no Music Hall, dia 8 de junho.

Além de compor suas próprias canções, os irmãos Manzano fazem covers de um grande número de artistas, como Bruno Mars, Katy Perry, Adele, Foo Fighters, Tracy Chapman e One Direction.

As vendas dos ingressos para o show na capital mineira começam no próximo dia 20 de março no site sympla.com.br. O primeiro lote custará R$ 180 e R$ 90 (meia); o segundo lote, R$ 200 e R$ 100 (meia); e o terceiro, R$ 220 e R$ 110 (meia).

 

Clipe oficial de "Eu Te Amo Tanto", nova música de Sofia Oliveira:

 

"Oi, Jesus" foi composta por Isadora Pompeo e estará em disco que será lançado pela cantora:

 

"Feito Boba" está no segundo disco "Gosto Assim", de Gabi Luthai:

 

 

"Noiva" é o novo sigle de Gabriel Guedes:

 

Jão fez versão acústica de "Medo Bobo", de Maiara e Maraisa:

 

Ouça a versão do Boyce Avenue de "Shape of You", de Ed Sheeran: