Após 35 anos, o jornalista Tino Marques decidiu deixar a Rede Globo. Referência no jornalismo esportivo brasileiro, com oito Copas do Mundo, seis Olimpíadas e incontáveis transmissões e reportagens, o profissional que estava na emissora desde maio de 1986, se sente com o dever cumprido e tem o desejo de se dedicar mais à família nesse momento.

" É raro alguém ter a sabedoria, a coragem e a serenidade de decidir parar no auge. Tino quer curtir a vida e ficar perto da família depois de tantos domingos trabalhados, de tantas longas viagens, de tanto tempo afastado de casa", diz Renato Ribeiro, diretor de esportes da Globo, em um comunicado aos funcionários da empresa.

Uma das caras mais conhecidas na cobertura da Seleção Brasileira pela Globo, ele ainda foi apresentador e editor-chefe do Globo Esporte, além de trabalhar no Esporte Espetacular por vários anos.

" - Galvão? - Diga lá, Tino!"  Quem acompanha as transmissões de futebol da Globo conhece bem esse diálogo, e poderá ouvi-lo ainda até o fim do mês, quando o profissional deixará a Globo oficialmente.

"Nesses anos todos eu fiz tudo. Não tem lacuna. Fui a Pan-Americano, Sul-Americano... Tudo. A palavra mais forte é gratidão. Gratidão à vida por ter me permitido... Por eu ter podido fazer aquilo que, para mim, sempre foi uma diversão. Sempre sonhei com uma despedida da Globo alegre, leve. Me preparei para isso gradativamente. Tive a cumplicidade total da direção na condução desse tipo de modelo", disse Tino Marcos.

Ainda segundo o jornalista, a pandemia ainda foi uma variavél decisiva na decisão: "tornou-se inviável o modelo de trabalho que eu vinha tendo, voltado para matérias com mais fôlego, séries, grandes produções. Isso se resumiu muito. E tem todo um contexto. Minha filha se formando na faculdade, minha esposa se aposentando este ano, eu perdi os meus pais. Por agora é isso aí. Viver essa pandemia, ficar em casa o máximo que eu posso. O que eu gosto mesmo é de produzir conteúdo, contar histórias".

(*) Estagiária, sob supervisão de Renato Fonseca 

Leia mais:
Após 32 anos, Faustão pode deixar a Globo no fim de 2021, diz colunista