A 20ª edição da Casa Cor Minas Gerais – que acontece a 12 km de BH, em São Sebastião das Águas Claras, mais conhecida como Macacos – chega ao fim na próxima terça, dia 16. Quem for ao local nestes últimos dias de evento não vai se deparar apenas com opções para decorar a casa: a Galeria da Casa Cor Minas hospeda uma instigante exposição coletiva de arte contemporânea, a “Pau-Ferro”, que reúne, em um único espaço, obras que trazem desde a assinatura de artistas renomados no mercado – caso de Nydia Negromonte e Marco Paulo Rolla – a trabalhos de jovens talentos, como Ilan Waisberg, que faz parte da coleção de arte da Pinacoteca do Estado de São Paulo, e Pierre Fonseca, que acaba de participar do renomado programa de residência do Museu de arte da Pampulha em Belo Horizonte.

Em “Pau-Ferro”, o público é instigado a descortinar uma narrativa diversificada a partir de pinturas e esculturas. Obras que incidem sobre realidades distintas, mas que abrangem temas extremamente parecidos em sua essência. Temas, inclusive, que são muito próximos ao público: as obras discorrem sobre histórias que vão do pessoal ao popular. Da natureza ao urbano. Um encontro para se (re)pensar as novas e mais diversas formas de e discutir a arte atual.
Ao todo são 12 nomes participantes, todos mineiros. Além dos já citados, Andrea Costa Gomes, Hor-tência Abreu, Letícia Grandinetti, Marcel Diogo, Marina RB, Manuel Carvalho, Marcelo Drummond e Warley Desali.

“Há pouco mais de um ano venho me dedicando a descobrir e fomentar a arte e os artistas do Estado. Executo um trabalho de curadoria no qual procuro encontrar e divulgar nomes da arte contemporânea mineira. É um trabalho que vem consumindo muito meu tempo, mas estou apaixonada por isso”, revela Luciana Garcia-Waisberg, 33 anos, graduada em Arquitetura e Urbanismo pela UFMG e especializada em Curadoria e crítica em Arte contemporânea pela PUC-Minas. Luciana é a fundadora do Pau-Ferro Cultural, escritório de arte especializado em arte contemporânea emergente de BH.

A mostra foi viabilizada a convite da própria organização da Casa Cor. No futuro próximo, Luciana pretende não apenas continuar o mapeamento, como unir-se ao circuito nacional de arte. Mas a estrada é longa, “porque falar de arte contemporânea ainda é um desafio”. Ao mesmo tempo, ela entende que é preciso insistir, “porque este é um segmento da arte que está muito próximo do nosso dia a dia”.

“Pau-Ferro” – Galeria da Casa Cor Minas (Estrada de São Sebastião das Águas Claras, 1.289, Macacos). Nesta sexta-feira (12), das 16 às 22h. Amanhã, das 13 às 22h. Domingo, 13 às 19h. R$ 50. Até 16/12