No dia em que o decreto do Ato Institucional nº 5 completa 48 anos, um grupo de cinco poetas relembra em livro todas as feridas deixadas na sociedade brasileira por conta das medidas repressivas determinadas pelos militares. 

O livro “AI-5” (Baroni Edições) apresenta poemas de Bilá Bernardes, Helenice Maria Reis Rocha, Irineu Baroni, Petrônio Souza Gonçalves e Rogério Salgado, além de textos de convidados que contextualizam o impacto que o AI-5 teve para o Brasil. O lançamento da obra – que tem prefácio do secretário de Estado de Direitos Humanos, Nilmário Miranda – acontece esta noite, na Assembleia Legislativa. 

A ideia nasceu há dois anos, no dia 1º de abril, quando uma cerimônia foi realizada na Assembleia para lembrar dos 50 anos do golpe militar. “Lá nos encontramos por acaso e alguém falou em um livro sobre o AI-5. A ideia ficou guardada e, meses depois, um foi ligando para o outro para consolidar o livro”, conta Rogério Salgado, organizador da obra e poeta que já trabalhou em vários projetos de divulgação da arte da poesia, como o “Belô Poético”. 

Entre os textos escolhidos para a publicação, estão alguns preparados especificamente para ela e outros mais antigos, mas que se encaixavam na proposta. Os poemas abordam, entre outros assuntos, o silêncio imposto pela ditadura, o sofrimento causado pela repressão, a violência física, a quietude de parte da população frente à opressão. “Só depois que o livro ficou pronto é que nos demos conta de quanto ele é atual”, conta Salgado.

Durval Ângelo
Amanhã, às 19h, a Assembleia recebe outro lançamento. “Tempos de Resistência: Escritos Políticos 2016” reúne uma compilação de artigos publicados pelo deputado estadual Durval Ângelo sobre os acontecimentos políticos deste ano. 

Serviço: Lançamento do livro “AI-5” na Assembleia Legislativa (rua Rodrigues Caldas, 30, Santo Agostinho), hoje, às 19h. O preço no lançamento é de R$ 20