Após 17 meses fechado, o Cine Belas Artes reabre as portas para o público nesta quinta-feira (5). Os frequentadores irão encontrar um complexo formado por três salas com várias modificações.

Durante a pandemia, o espaço passou por uma atualização técnica, reparos e reformas que facilitam a higienização do local, além de adequação do espaço aos protocolos de segurança das autoridades sanitárias.

Essas melhorias só foram possíveis com a forte adesão da população à campanha de crowdfunding "SOS Belas BH", realizada de setembro a novembro de 2020, que contou com o financiamento coletivo de 2.547 benfeitores, além da parceria do Centro Universitário UNA, do Campus Liberdade, que fica em frente ao cinema.

As camisetas, uma das contrapartidas para os colaboradores da campanha, já estão sendo entregues. Já os ingressos e passaportes para o cinema, serão concedidos a partir de 1º de outubro. Também estão sendo produzidas outras recompensas, como vídeos, placas em poltronas e agradecimento em tela.

Nesta retomada das atividades, o Belas Artes exibirá quatro títulos brasileiros inéditos - "Piedade", de Claudio Assis, "Música para quando as luzes se apagam", de Ismael Caneppele, "Vento Seco", de Daniel Nolasco, e "Doutor Gama", de Jefferson De.

Também serão exibidos dois filmes vencedores do Oscar que não haviam passado nas telas de BH: "Meu Pai", de Floriam Zeller, e "Nomadland", de Chloé Zhao.

Leia Mais:
Diretor de 'O Sexto Sentido' discute questões atuais em novo filme