A próxima segunda-feira (22) vai marcar a volta das atividades do Cine Horto como cinema de rua em Belo Horizonte. A programação vai apresentar o projeto “Segunda tem Cinema”, comandado pelo Galpão Cine Horto, que exibirá um filme toda segunda-feira, gratuitamente, até o final de novembro.

Na programação, filmes escolhidos por quatro grupos: o cineclube CineLixo, o coletivo Artesãos Tagarelas, as professoras e pesquisadoras Viviane Dias Loyola e Dunya Azevedo, e Lea Monteiro e Luís Oliveira, que responderam aos chamados públicos de ocupação do cinema. Cada segunda do mês terá um recorte diferente, seguindo a proposta de cada uma das equipes.

A estreia terá a exibição do filme O Anjo da Noite (1974), de Walter Hugo Khouri, que integra a mostra Lixorumeassombroso&mortífero, apresentada pelo CineLixo, coletivo criado em 2015 com foco em produções brasileiras marginais. Com filmes como O Jovem Tataravô (1936), de Luiz de Barros, o cineclube propõe o resgate de um cinema esquecido e mal localizado historicamente.

Como parte da programação, todas as exibições terão a presença de debatedores, entre professores, pesquisadores e cinéfilos, que vão levantar questões e promover discussões sobre o filme assistido. 

Histórico

O local fez história na capital mineira como um dos últimos cinemas de rua da cidade, funcionando até o final da década de 1970 na rua Pitangui como Cine Horto. O Grupo Galpão, cuja sede fica na mesma rua, ocupou o espaço em 1998 e transformou o imóvel no Centro Cultural Galpão Cine Horto.

Apesar da nova gerência, a sala de exibição dos filmes preserva uma série de elementos do cinema de bairro, como os assentos originais. O espaço foi reformado para operar também como auditório e, desde então, a sala tem recebido algumas mostras e pequenas sessões esporádicas. Para 2019, o Galpão Cine Horto aposta em uma programação fixa e extensa.