Circuito de Arte Urbana tem início nesta terça em Belo Horizonte; participação indígena é destaque

Da Redaçção
almanaque@hojeemdia.com.br
22/09/2020 às 07:45.
Atualizado em 27/10/2021 às 04:36
 (ARQUIVO PESSOAL)

(ARQUIVO PESSOAL)

A paulistana Daira Tukano está para entrar na história. É que a partir do esta terça (22), ela começa a pintar uma empena 1.005,9m2 no Edifício Levy, no centro de Belo Horizonte. Esta será a maior arte publica já feita por uma artista indígena no mundo.

Daiara Hori, nome tradicional Duhigô, pertence ao clã Uremiri Hãusiro Parameri do povo Yepá Mahsã, mais conhecido como Tukano. Seu trabalho artístico fundamenta-se na pesquisa sobre a história, a cultura e a espiritualidade de seu povo. Sua participação no festival mineiro vem coroar uma carreira que articula as linguagens artísticas com a comunicação em prol dos direitos indígenas, incluindo aí exposições em diversas partes do país e o trabalho como coordenadora da Rádio Yandê, primeira web-rádio indígena do Brasil.

Antes disso, Jaider Esbell, artista indígena de Roraima, presenteia Belo Horizonte com uma gigante escultura inflável, de cerca de 40 metros. A intervenção acontece no icônico Viaduto Santa Tereza, patrimônio tombado da cidade, que pela primeira vez, desde sua inauguração em 1928, terá sua imagem transformada.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por