Quem mora em Belo Horizonte sabe que o fim de ano é a época mais aguardada para visitar a Praça da Liberdade – sempre ilustrada pela tradicional iluminação de Natal. Em 2018, porém, as atrações vão muito além das luzes natalinas da Cemig: o Circuito Liberdade, que integra 16 equipamentos culturais no entorno da praça, contará com programação de apresentações gratuitas ou a preços populares, que passeiam entre música, teatro, cinema, artes visuais e atividades infantis. 

Aglutinada sob o tema “Músicas de Minas”, são 117 atrações que acontecem até 6 de janeiro nos espaços e ao ar livre. Entre os destaques estão as Cantatas de Natal, que vão reunir vozes de quatro corais em duas apresentações nas janelas do Memorial Minas Gerais Vale e do Museu das Minas e do Metal, respectivamente nos dias 13 e 19 de dezembro. 

“Há quatro anos, implementamos a apresentação de bandas e corais na programação de Natal. As cantatas serão momentos interessantes, em que os cantores ficarão nas janelas e o maestro regendo no chão, junto ao público”, explica Marcela Franca, coordenadora-geral do Circuito Liberdade. “Além dos corais, teremos a apresentação da Orquestra Sinfônica da Polícia Militar, na Alameda Travessia, na praça, com cerca de 60 músicos”, aponta a gestora.

Variedade

As exposições em cartaz nos equipamentos culturais também são um show à parte. “São bastante variadas, como o presépio colaborativo, que fica até 6 de janeiro na Casa Fiat de Cultura. É uma minicidade imaginária pensada pelo artista Leo Piló, com objetos recicláveis, que homenageia neste ano o Presépio do Pipiripau”, detalha.

“Outro destaque é a Mostra Continuum, no prédio da Universidade Estadual de Minas Gerais (Uemg), cuja reforma está quase acabando. Vão abrir o térreo do prédio apenas para a exposição, que traz o acervo da escola de design da universidade”, diz. 

Iluminação

A gestora conta que a iluminação deste ano foi escolhida a partir de um concurso que buscou valorizar a música mineira. “O tema vencedor foi o das violas de Minas, Patrimônio Cultural Imaterial do Estado. Por isso, na decoração, vemos claves musicais, pequenas violas e uma maior, ao topo da árvore”, ressalta. 

O bom velhinho também é atração da Praça da Liberdade. “Na Casa do Papai Noel, as crianças poderão tirar fotos e levar para casa”, lembra.

Segundo Marcela França, a expectativa para 2018 é de crescimento no público visitante, uma vez que o cartão-postal acaba de ser reaberto, após uma grande reforma. 

“Foram feitos, através de parceria entre Vale e Iepha, o restauro dos elementos artísticos, a revitalização de todo o jardim, a substituição do mobiliário urbano, a restauração das fontes e um plano de manejo das árvores”, enumera, ressaltando a importância da população colaborar com a preservação. 

“Não havia uma reforma dessa magnitude há 20 anos e ela só se deu por conta de uma degradação muito grande. Então, as pessoas têm que ajudar a manter a praça, que é delas”, afirma a gestora, enaltecendo o potencial da programação de Natal. “É o recorde de visitação, um momento importante para a formação de novos públicos e para a democratização dos equipamentos”, coloca. 

Palácio reaberto tem ‘tesouros’ históricos encontrados

Outro diferencial da programação de Natal de 2018 é a reabertura do Palácio da Liberdade para visitação. Fechada desde 2015, a antiga sede do Governo de Minas voltou a abrir as portas para a população no último sábado. A visita interna tem a duração estimada de uma hora, com grupos agendados de 30 em 30 minutos, aos sábados e domingos, das 9h às 15h. 

“O Circuito Liberdade faz pesquisas públicas de opinião e satisfação anualmente. Uma das demandas da população, já há alguns anos, era realmente a reabertura do Palácio”, detalha Marcela França.

A reabertura fecha uma consolidação do Circuito Cultural, hoje com 16 equipamentos. “O Palácio é um ícone da história e poderá ser conhecido não apenas por visitantes espontâneos, mas também por estudantes”, pontua. 

Projetor

Uma curiosidade sobre a reabertura do Palácio da Liberdade é que, durante o processo, técnicos do Arquivo Público Mineiro foram chamados para avaliar alguns “tesouros” do audiovisual perdidos pelo edifício. 

“Quando iniciaram uma pesquisa para definir rotas expositivas, foi encontrado um projetor de película, que funciona com lâmpada de arco voltaico e varetas de carvão ativado”, descreve Thiago Veloso Vitral, superintendente do Arquivo Público Mineiro.

Vitral relembra que comprou uma vareta de carvão ativado, com a ajuda do técnico preservador Alexandre Pimenta, e constatou que o projetor, apesar de bastante antigo, ainda funciona normalmente. 

“Na saleta ao lado, foram encontradas também seis latas de filmes em película 35 mm. São filmes-jornais utilizados para promoção e divulgação dos governos em vigência”, explica, ressaltando que ainda não é possível identificar o conteúdo das películas. “Algumas estão com etiquetas, outras não, e estão petrificadas. Agora, vamos buscar parcerias para identificar os conteúdos e, quem sabe, salvar os filmes. Podem ter imagens preciosas do Governo de Minas”, finaliza. 

Circuito Liberdade Natal 2018

Clique para ampliar ou salvar

Leia mais:

Canção 'Shallow', de 'Nasce uma Estrela', supera êxito do filme em indicações

Nostalgia de 'Bumblebee', ambientado nos anos 80, aumenta expectativa dos fãs

Mercado Distrital do Cruzeiro recebe bate-papo descontraído sobre paternidade