A vida dos insetos contada por meio de performances de dança, malabarismo, contorcionismo e artes circenses impecáveis. O espetáculo "Ovo", do Cirque du Soleil, que estreou na noite dessa quinta-feira (7), no Ginásio do Mineirinho, traz a marca registrada da trupe: a superação de limites.

E ultrapassar os limites é justamente o motivo pelo qual a plateia presente vibra. Exemplos são o bailarino que se equilibra na corda bamba em cima de uma roda ou mesmo a contorcionista - que faz o papel de aranha - desafia músculos e ossos ao se "dobrar" no palco. Estes são alguns dos pontos altos em que o público aplaude, grita e ovaciona os artistas.

A distração do espetáculo, para os momentos em que os cenários precisam ser trocados e os artistas posicionados, fica por conta de três insetos: uma joaninha e dois mosquitos (um deles um pernilongo apaixonado pela joaninha) - eles são os palhaços, se fôssemos transpor para o elenco de um circo tradicional. 

O grupo fica em cartaz na capital mineira com a nova montagem até 17 de março.

Confira as imagens da estreia dessa quinta: