O nome do livro que a jornalista Claret Soares Christensen lança hoje na capital mineira é “pra” lá de emblemático: “Verdades Temporárias”. “Porque a verdade é mesmo mutável. Até o que é considerado uma ‘verdade científica’ pode, com o passar dos anos, parecer absurdo. O mesmo se aplica às ligações políticas, às juras de amor... “, enumera.

A obra, na verdade, foi editada em 2012. “No dia seguinte fui embora”, brinca ela, referindo-se à mudança para a Dinamarca, por conta do casamento com Jørn Christensen.á, mora em Vordingborg, cidade ao sul de Sjælland, a maior ilha da Dinamarca. De volta à terra natal – fica na capital mineira até julho – Claret aproveitou para fazer o lançamento do livro “come il faut”.

Lembrando ser uma pessoa profundamente interessada em questões filosóficas, Claret mergulhou fundo em Lacan, na semiótica e mesmo na linguística para embasar o que à sua mente emergia de forma espontânea.

A poesia foi um caminho claro desde sempre, e embora ela confesse a vontade de um dia publicar contos, já vai logo avisando: o próximo livro também vai militar nesta seara.

ADAPTAÇÃO

Nascida em Itabirito, Claret, 49 anos, veio para BH aos oito anos de idade. A adaptação à Dinamarca, conta, tem sido facilitada pelo marido, que, diz, é uma pessoa extremamente “leve”. Foi ele, aliás, que se incumbiu das traduções em inglês dos poemas: o livro é bilíngue.

Lá, além de estudar, Claret trabalhou com produção cultural, atuou em uma ONG e integrou um coletivo de artistas de teatro, de países como Islândia e Itália. Claro, dificuldades de adaptação, há... Além do clima (“são meses sem sol, é difícil até para eles”), o temperamento menos expansivo dos dinamarqueses, digamos assim. Mas nada que ela não tire de letra.

Lançamento do livro “Verdades Temporárias”– Hoje, às 20h, na Livraria Leitura do BH Shopping.