PARATY (RJ) – Décadas depois de Clarice Lispector, Carlos Drummond de Andrade e Caio Fernando Abreu usarem a solitária máquina de escrever, versos e recortes dos seus escritos fazem sucesso nas redes sociais. São campeões de curtições e compartilhamentos no Facebook e no Twitter.

A web, no entanto, não é para todos. Autores como Graciliano Ramos, Mário de Andrade e João Guimarães Rosa são bastante estudados nas academias, mas não caíram nas graças do mundo virtual. A pesquisa foi apresentada na quarta-feira (3) pela Fundação Itaú Cultural, no primeiro dia da 11ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), que prossegue até domingo (7).

A mais popular é Clarice (1920-1977): a fan page oficial da brasileira de origem ucraniana tem 743 mil fãs. O público é essencialmente feminino (91%) e brasileiro (93%), mesmo perfil do de Caio Fernando Abreu (1948 – 1996). Curiosamente, Machado de Assis (1839 – 1908), com número menor de fãs no Facebook, tem 7% dos acessos registrados nos EUA, 83% no Brasil. Outra pesquisa apresentada ontem pelo Itaú Cultural mostra que, sob a batuta da Fundação Biblioteca Nacional, acontecem, no Brasil, 261 feiras, bienais, festas e encontros literários.

A liderança é do Rio Grande do Sul, com 130 eventos. Vem de lá a Feira de Porto Alegre, em sua 59ª edição neste ano. Minas Gerais tem 14 no catálogo. As vendas crescem. Segundo o Observatório do Livro e da Leitura, instituição apoiada pela Organização dos Estados Ibero-americanos. Em 2011 os vales-livros distribuídos em feiras contabilizaram R$ 26,1 milhões.


*A jornalista viajou a convite do Itaú Cultural.