O fim do mundo pode ainda não ter acontecido, mas há sempre alguém que diga que ele está próximo. Pegando carona nos vários significados do final dos tempos – do apocalíptico à expressão usada em situações absurdas – um coletivo de artistas se reuniu na produção de “19ª Conferência Para o Fim do Mundo”, que estreia hoje no Teatro Espanca!, onde fica até domingo, e depois segue para o Teatro Marília, entre os dias 6 e 8 de abril.

Fruto do trabalho de quase um ano, a coletividade do espetáculo se estende até mesmo na sua viabilização, conquistada após um financiamento coletivo. “Passamos um tempão estudando, improvisando e pesquisando temas que nos interessavam. Desde questões como o estabelecimento de normas, como a moral incide sobre isso, até questões hierárquicas e de poder”, explica Mariana Maioline, uma das diretoras do espetáculo.

Condensando as várias questões levantadas durante a produção, a montagem carrega uma forte ligação com a atualidade. “Os discursos levantados pelos personagens vão ser facilmente reconhecidos pela platéia”, diz a diretora.
Não por acaso, a ligação com o contexto atual se faz presente também em uma das grandes fontes de inspiração do espetáculo: as redes sociais.

Na peça, o discursos construídos nesses ambientes e a fragilidade deles são transportadas para o palco. “Os conferencistas sempre falam que querem propor um diálogo, mas na verdade eles querem mais afirmar suas crenças. Nem sempre há uma coerência, lógica ou uma troca”, sublinha Maioline. Outro destaque fica por conta da trilha sonora original – composta pelo multiarista Barulhista, que também atua no espetáculo – que é executada ao vivo.

Serviço: “19ª Conferência Para o Fim do Mundo”, de hoje a domingo, às 20h no Teatro Espanca! (Rua Aarão Reis, 542 – Centro) e de 6 a 8 de abril, às 20h no Teatro Marília (Av. Prof. Alfredo Balena, 586 – Santa Efigênia). Ingressos R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia)