“Pra começar, tristeza não é uma energia boa”, diz Alcione ao Hoje em Dia, quando perguntada sobre qual a fórmula usada para banir (ou tentar banir) esse sentimento de sua vida, posto que o nome do show que traz a diva maranhense a Belo Horizonte é mais do que indicativo do norte que prioriza: “Eterna Alegria”, também nome do DVD no qual o espetáculo se baseia. “E comigo não tem fórmula: eu não deixo a treva me atacar, pois elevo sempre meus sentimentos e pensamentos”, diz a marrom, que adentra o palco do Chevrolet Hall nesta sexta (30) à noite.

O objetivo é brindar o público com os hits que os fãs sabem de cor e salteado – e as inéditas que acrescentou a seu repertório, que, desta vez, claramente dá primazia ao samba, justamente na vibe da alegria.
 

Juízo final

Entre as músicas do set list, está “Juízo Final”, que integra a trilha sonora da novela “A Regra do Jogo”, atualente titular do horário das 9h da Rede Globo. Sim, ela confirma que a teledramaturgia continua sendo uma boa vitrine para o artista brasileiro. “Especialmente quando é uma novela como essa, em horário nobre – e eu sou fã de novela sim”.

Outra música a se destacar é “Magia do Palco”, composição de Altay Veloso, gravada em homenagem a um querido amigo dela: Emílio Santiago, falecido há pouco mais de dois anos, e de quem ela se lembra com inequívoca ternura. Instada a falar sobre o intérprete, aliás, ela destaca “a grande genialidade em cantar e poder tudo...”. “A voz... aquele jeito chique e simples de ser e o grande senso de humor. Ah! Nós demos boas risadas! Que Deus o tenha”.

O repertório traz, ainda, uma inédita parceria entre Djavan e Zeca Pagodinho: “Êh, Êh”. E, ainda, “Pontos Finais”, especialmente composta para Alcione por Ana Carolina, Chiara Chivelo e Dudu Falcão. Já a faixa que dá título ao disco, “Eterna Alegria”, é do compositor Júlio Alves em parceria com Carlos Jr, Ramirez e Alex Almeida.

Cheia de planos, Alcione conta que, ainda este ano, vai a Moçambique. “Tenho alguns shows e televisões para fazer”. E depois? Bem, aí... “Vou me preparar para o Carnaval”, diz, sem esconder a alegria por, neste intervalo, vir a Minas. “Terra que nos deu Milton Nascimento... A plateia aí tem um charme que só o mineiro tem”, diz, para arrematar. “Tem coisa melhor do que o Clube da Esquina?”.

Alcione – Nesta sexta, às 22h, no Chevrolet Hall (av. Nossa Senhora do Carmo, 230, São Pedro). Ingressos: de R$ 35 a R$ 400. Classificação indicativa: 13 anos.