Duas semanas após o incêndio que destruiu 90% do acervo do Museu Nacional do Rio de Janeiro, é realizada a 12ª Primavera dos Museus, que começa nesta segunda-feira (17) com programação em vários locais do país até o próximo dia 23. Mais de 900 instituições participam, promovendo  2.787 eventos.

Com o tema “Celebrando a Educação em Museus”, a proposta é incentivar a reflexão sobre as atribuições presentes em um museu, como educar e contribuir no despertar de interesse para diferentes áreas do conhecimento, a vida em sociedade, a importância das memórias e o valor do patrimônio cultural musealizado. 

Diversos museus de BH vão participar do evento. Um dos destaques da programação é a atividade "Jogos e memórias no quintal do MIS", desenvolvida no Museu da Imagem e do Som. Trata-se de uma atividade lúdica no qual o público poderá interagir com quebra-cabeças, jogos da memória e outros brinquedos que apresentam de forma divertida o acervo do Museu e que mostram um pouco do universo mágico do audiovisual. A atividade é voltada para crianças de 5 a 14 anos e acontece nos dias 18, 19 e 20, às 9h e às 14h.

Na Casa do Baile, localizada na Pampulha, o destaque é a ação educativa "A Casa do Baile: território do sensível", que propõe a criação de um percurso de descobertas sensíveis que possibilitem a construção de novas interpretações acerca do significado da educação em museus. O percurso convida os visitantes a explorar o espaço através de planos sensoriais, para o desenvolvimento de um aprendizado mais dinâmico, holístico e inclusivo, fundamentado na experiência e autonomia dos sujeitos na Casa do Baile.

Já o Museu de Arte da Pampulha promove de 19 a 21 de setembro, sempre às 19h, um encontro da Jornada Mineira de Educação em Museus. Trata-se de uma ação em rede entre instituições museais, governamentais e independentes de Belo Horizonte para troca de experiências e formação.

Em Ouro Preto, Museu da Inconfidência promove, de 18 a 21 de setembro, o 1º Seminário de Educação em Museus de Ouro Preto. O evento vai reunir diversos profissionais para debater questões e desafios sobre o tema. No Rio de Janeiro, o Museu Histórico Nacional realiza, nesta segunda-feira (17), as oficinas A Aplicabilidade da Política Nacional de Educação Museal e Baú da História da Educação Museal para profissionais da área.

Durante o evento, haverá o lançamento e a divulgação do Caderno da Política Nacional de Educação Museal (Pnem), no Museu Casa Histórica de Alcântara (MA), no Museu Vitor Meirelles (SC) e no Museu das Missões (RS). 

Marcos e aberturas

Os museus brasileiros promovem ações educativas desde 1818, com a criação do Museu Nacional, então Museu Real  – que em 2018 celebra seus 200 anos. Desde então, o interesse e o debate sobre esse tema só têm se disseminado e aprofundado.

Este ano será comemorado o aniversário de 60 anos da Declaração do Rio de Janeiro, resultado de seminário regional realizado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) em 1958, considerada marco internacional para o setor.

Momento

A 12ª Primavera dos Museus ocorre no momento em que autoridades públicas federais, estaduais e municipais, em parceria com organismos internacionais e instituições estrangeiras, buscam estratégias para definir o processo de recuperação e restauro do Museu Nacional do Rio.

No último dia 2,  um incêndio, que é alvo de investigações, destruiu o Museu Nacional, queimando 90% do acervo. O episódio provocou reações de pesquisadores, professores e estudantes que advertiram sobre a necessidade de mais investimentos no setor.

Representantes de vários países e museus estrangeiros, como o Louvre na França, colocaram-se à disposição para colaborar no processo de recuperação e reconstrução do Museu Nacional e dos acervos.

Leia mais:
UFRJ inicia cobertura do telhado do Museu Nacional
Museu Nacional é cercado com tapumes de madeira
Servidores do Ibram criticam criação de agência para cuidar de museus