O programa "MasterChef Jr", da Band, estreou na última terça-feira (20). Enquanto o programa rolava, inúmeros tuítes sobre o reality estavam relacionados a dois candidatos: uma menina, de 12 anos, e um garoto, de 11 anos.

Muitas postagens tinham conotação sexual a respeito da garota, o que gerou repercussão nas redes sociais e a indignação de muitos internautas. A menina foi chamada de vagabunda, entre outros comentários ofensivos.

Quanto ao participante de 11 anos – um dos eliminados da noite de terça – os comentários questionavam a sua orientação sexual. O "Masterchef Júnior" têm participantes de nove a 13 anos. Pelo menos quatro dos perfis do Twitter, que compartilharam comentários ditos pedófilos, em referência à menina de 12 anos, foram apagados. Não se sabe, ainda, se as contas foram deletadas pelos próprios donos ou pela rede social, após serem denunciadas por outros usuários.

Além disto, internautas criaram uma campanha para tentar excluir a comunidade criada no Facebook. Na página, são divulgadas fotos da menina com textos de teor preconceituoso e de forte apelo sexual.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Band informou que "repudia e lamenta" o que classificou como "manifestações de extremo mau gosto".

Veja o comunicado na íntegra: "A Band repudia e lamenta essas desagradáveis manifestações de extremo mau gosto. O foco do programa é o talento das crianças, e nem de longe, há qualquer provocação a esse tipo de estímulo".

A mãe da garota, que prefere não ser identificada, disse que a família foi orientada pela emissora a não comentar mais o caso. Novas providências serão debatidas em uma reunião na sede do canal na tarde desta quinta-feira (22).

Embora os membros da família da participante não queiram comentar o caso, eles reforçaram a importância de se fazer um debate mais amplo sobre pedofilia. "Não queremos nos eximir da discussão sobre pedofilia, mas estamos lutando para que ela [a garota] não seja o centro deste debate", afirmou a mãe.

Ela conta que a menina está recebendo assistência da equipe de pedagogos e psicólogos do programa para enfrentar a repercussão, que "está sendo muito difícil". A advogada criminalista Marina Chaves Alves diz que os autores dos comentários podem ser processados pela família da participante por crime contra a honra. "A pedofilia em si não é tipificada criminalmente, ela é uma patologia. O que existe é a presunção de estupro quando a parte envolvida é menor de 14 anos. No entanto, o que está em jogo neste caso, na verdade, é o crime contra a honra da menina, de difamação", explica.

 

Confira alguns dos comentários:
 

masterchef

 

 

* Com a agência AFP