O jovem de 20 anos, morador da periferia de Belo Horizonte, Arthur Wille, faturou o prêmio de melhor bailarino do Festival de Dança de Joinville, em Santa Catarina, reconhecido como o maior evento do mundo na categoria. A premiação aconteceu no último dia 16, mas ganhou repercussão nesta semana. Ele também conquistou o 1° lugar no solo neoclássico e a primeira colocação na variação de repertório.

O bailarino se apaixonou pelo balé quando ainda era criança, e teve o 1° contato com a dança na escola municipal que estudava, no bairro Rio Branco, região de Venda Nova. "Comecei a conhecer mais o balé e daí fui me aprofundando e amando cada vez mais". Nos últimos quatro anos, Arthur treina no Centro Cultural de Danças. 

Para ele, a vitória é resultado de todo esforço e apoio dos professores ao longo dos treinamentos durante a pandemia que prejudicou boa parte dos ensaios presenciais. "É incrível conseguir esse reconhecimento por todo esforço e apoio também dos professores. É muito gratificante poder receber esse prêmio, e também acaba motivando a fazer um trabalho cada vez melhor, com mais dedicação e esforço".

Balé

Arthur acrescenta que esta vitória é apenas um começo para viver apenas da dança e colecionar grandes títulos em sua carreira

Arthur acrescenta que essa vitória é apenas um começo para viver apenas da dança e colecionar grandes títulos em sua carreira. "Os planos agora são ir tentando conseguir um patrocínio pra poder ajudar a chegar em uma companhia de dança, conseguir um contrato e continuar dançando tentando viver mesmo da dança", afirma.

(*) Estagiária sob supervisão da editora-adjunta Raíssa Pedrosa

Leia Mais:
Boas e más práticas do serviço público são tema de concurso fotográfico da Ouvidoria-Geral da União