A cantora baiana Daniela Mercury disse, na noite deste domingo (16), que virá para Belo Horizonte para participar da 5ª Edição da Virada Cultural. A artista respondeu a perguntas de fãs em uma transmissão ao vivo feita em seu perfil no Instagram, confirmou presença e ainda comentou sobre outros assuntos, como a decisão do STF de equiparar a homofobia ao crime de racismo. A Virada será realizada das 17h do dia 20 de julho, um sábado, até as 17h do dia 21, domingo. 

Ao conversar com os participantes da transmissão, Mercury disse que está feliz com a confirmação na Virada e até adiantou algumas das músicas que deverão aparecer em sua apresentação na capital mineira. De acordo com ela, "Pantera negra deusa", "Pagode divino", "Banzeiro" e "Proibido carnaval", parceria com Caetano Veloso, serão cantadas em Belo Horizonte. A assessoria do evento confirmou a participação da cantora e informou que sua apresentação será no dia 20, no palco montado na Praça da Estação.

Em sua quinta edição, e após dois anos sem a festa, a Virada Cultural é realizada pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura (FMC), com apoio e adesão de diversos parceiros institucionais. Nas quatro edições anteriores, reuniu mais de cinco mil artistas, duas mil atrações e mais de 1,6 milhão de pessoas. 

Ativista

Ainda na transmissão, a cantora, que se tornou representante em causas de diversidade sexual por todo o Brasil, comentou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de equiparar a homofobia ao crime de racismo, na última quinta-feira (13). "Quero agradecer aos ministros, ao relator Celso de Mello pelos argumentos fantásticos", disse. "São votos que respaldam a diversidade humana e toda a sua riqueza. Sem dúvida, é uma proteção, um escudo, para todos nós LGBTs", declarou Mercury.