Moraes Moreira, Daniela Mercury e Djonga encabeçam a lista de atrações da 5ª edição da Virada Cultural de Belo Horizonte. Após um jejum de dois anos, o evento volta à capital. São 440 intervenções já confirmadas em dez palcos e outros 15 espaços durante 24 horas, de 20 a 21 de julho. A programação divulgada pela Secretaria Municipal de Cultura e está disponível no hojeemdia.com.br. 

“A Virada se consolidou como um evento referência da cidade. É um momento em que pessoas de diversas partes vêm ao Centro desfrutar de música e outras linguagens artísticas, o que é importante para o sentimento de pertencimento e para qualificar BH como uma das capitais mais importantes da cultura no Brasil”, disse o secretário Juca Ferreira.

Segundo ele, o evento deste ano teve um orçamento de R$ 2,446 milhões. “Eu não quis fazer no ano passado porque os recursos eram tão poucos que nós não teríamos condições de ter uma Virada minimamente qualificada, que desse continuidade às anteriores, que foram muito boas”, afirmou. Em 2017, o evento ficou de fora do calendário da capital devido à troca da gestão municipal. 

Para este ano, uma das novidades é um circuito formado por 30 estabelecimentos gastronômicos, com pratos até R$ 20. Durante a Virada, o trânsito será impedido na avenida Afonso Pena, entre o Palácio das Artes e a praça Rio Branco (da rodoviária), e em vias adjacentes. A rua Rio de Janeiro, por exemplo, terá um palco dedicado às artes cênicas. 

Também haverá um espaço pet no viaduto Santa Tereza, que será interditado. Sob a estrutura será instalado um espaço dedicado ao hip hop.