O Coletivo de Cerâmica de MG realiza neste domingo a 4ª edição do Ateliers de Portas Abertas, que promove oficinas e atividades gratuitas em 18 ateliers de Belo Horizonte e quatro cidades mineiras. Trata-se de uma iniciativa dos próprios artistas para comemorar o Dia Internacional do Ceramista (28/5).
 
As atividades buscam compartilhar saberes e técnicas em aulas gratuitas de modelagem no torno e a mão, pintura (esmaltação), abertura de fornos, queimas, demonstrações de técnicas, exposições e vivências em atelier. Das técnicas mais antigas como o raku japonês à processos inusitados, como a queima num forno de tijolo refratário para alta temperatura e a transferência de imagem de tela de silkscreen para o suporte da cerâmica, os visitantes poderão conhecer a pluralidade dos ateliers e artistas que atuam em Minas.
 
Em Belo Horizonte, no bairro Santo Antônio, os ceramistas Cibele Tietzmann e Francisco Alessandri demonstram a técnica da transferência de imagens gravadas em silkscreen (tela) para a cerâmica. Erli Fantini abre seu atelier em Santa Tereza junto com mais cinco ceramistas para demonstrações de torno e exposição de peças.
 
Na Floresta, o Atelier de Cerâmica da Associação de Cegos Louis Braille abre suas portas para oficinas de Pinch Pot (técnica do belisco), que serão ministradas por professoras que são deficientes visuais, revelando uma nova abordagem na lida com o barro, onde o tato é potencializado na confecção das peças.
 
Seis ceramistas aguardam o público no atelier-casa de Ione Laurentys na Serra para oficinas de raku e Pinch Pot e também para conversas sobre técnicas, acompanhadas por um cafezinho mineiro. No Santa Lúcia, a ceramista Sandra Zarife transmite conhecimentos de modelagem em placa. Em Contagem, Rodrigo Paiva introduz às técnicas de modelagem com formas de gesso e argila líquida (barbotina) na preparação de peças.
 
Em Nova Lima, Roberto Lott e Luiz Seara aguardam o público para a abertura do “Forno Flex” criado pelo ceramista Roberto Lott. O forno usa como combustível gás e lenha simultaneamente. Construído com tijolo refratário para alta temperatura, é todo revestido de massa de barro, como se fosse um forno cupim. Sua cúpula é montada e desmontada a cada queima.
 
Bernadette Santiago e mais quatro ceramistas oferecem oficinas de confecção de potes em várias técnicas – torno, placa prensada, modelagem em formas de gesso e ocagem. Hilária Maria Compart ensina os visitantes a esmaltarem (pintura) peças que depois serão queimadas no forno de raku.
 
Três ateliers abrem suas portas em Brumadinho: Igor Reis inaugura o Organo Atelier com exposição, espaço colaborativo e modelagem livre para crianças, além de workshop de queima de raku.  No Atelier Xakra 88, o artista Benedikt Wiertz recebe o público para queima de raku descascado (naked raku), worshop de fermentação e exposição de peças utilitárias e decorativas. Os ceramistas Jessica Soares e José Alberto Duarte do premiado Atelier Saracura Três Potes abrem suas portas para uma vivência no atelier em que as pessoas poderão presenciar o cotidiano do espaço, ajudar nas tarefas com a cerâmica, cozinhar, compartilhar experiências, como se estivessem em seu próprio atelier.
 
Bel Resende em Caeté, dará oficina introdutória de modelagem em placas e formas de gesso. 
 
Serviço:
Coletivo Cerâmica MG – Ateliers de Portas Abertas, de 9h às 20h. Alguns ateliers pedem inscrições e agendamento prévio. Informações sobre programação e locais estão no site https://www.google.com/maps/d/viewer?mid=1cQ8r372ayuJefBLrXtox9zVs9GWnF6Pf&ll=-20.060112733576982%2C-43.890277449999985&z=9