Para homenagear o Dia do Escritor, comemorado em 25 de julho, a reportagem selecionou os 25 autores fundamentais - há muitos outros que são leitura obrigatória - que não podem e não devem faltar em sua biblioteca. São autores de diversas nacionalidades e de épocas diferentes, e que deixaram sua marca na literatura mundial e nacional.

Para abrir, a brasileira Lygia Fagundes Telles (1923), autora de Ciranda de Pedra e Antes do Baile Verde, As Meninas, Verão no Aquário, entre outros.

William Shakespeare (1564-1616) é considerado o principal escritor da Inglaterra. Dramaturgo, escreveu peças que são encenadas até hoje. Entre tantos clássicos, é autor de Romeu e Julieta, Macbeth e Hamlet.

O espanhol Miguel de Cervantes (1547-1615) escreveu Dom Quixote de la Mancha, tido como o primeiro romance moderno.

Jane Austen (1775-1817) é uma das mais festejadas escritoras britânicas. Sucesso de crítica e público, é conhecida por livros como Orgulho e Preconceito, Emma e Razão e Sentimento, muitos dos quais adaptados para o cinema.

O russo Liev Tolstoi (1828-1910) deixou obras fundamentais como Anna Kariênina e Guerra e Paz.

O inglês J.R.R. Tolkien (1892-1973) escreveu obras como O Hobbit e O Senhor dos Anéis. Biógrafos dizem que sua experiência no front na Primeira Guerra Mundial contribuíram para a criação de suas obras, embora ele nunca tenha escrito sobre o conflito.

O argentino Jorge Luis Borges (1899-1986) é autor de, entre outros, Ficções e O Aleph. Entre seus contos mais famosos está 'A Biblioteca de Babel'.

Monteiro Lobato (1882-1948) criou personagens que estão até hoje no imaginário do brasileiro. Entre suas obras infantis estão Reinações de Narizinho e Caçadas de Pedrinho. Sua obra ganhou adaptações para a televisão em O Sítio do Picapau Amarelo. Escreveu, também, obras para adultos, como Urupês, e foi editor de livros.

A inglesa Virginia Woolf (1882-1941) escreveu importantes obras como Mrs Dalloway, Orlando e Ao Farol, além do simpático Flush - Memórias de um Cão, sobre um cocker spaniel.

Um dos mais importantes contistas latinos, o argentino Julio Cortázar (1914-1984) tem obras como Bestiário e Final de Jogo, além do clássico O Jogo da Amarelinha, disponíveis nas livrarias brasileiras.

Um dos mais reclusos escritores brasileiros, Raduan Nassar (1935) tem uma obra breve, porém enorme. Ele é autor de Lavoura Arcaica e Um Copo de Cólera.

Autora de A Hora da Estrela, que faz 40 anos em 2017, e A Paixão Segundo G. H., Clarice Lispector (1920-1977) é sucesso de crítica e de público.

O checo Franz Kafka (1883-1924) é autor de obras como O Processo e A Metamorfose.

Machado de Assis (1839-1908), um dos grandes nomes da literatura brasileira, é leitura obrigatória nos tempos de escola - e depois também. Entre seus livros estão Dom Casmurro e Memórias Póstumas de Brás Cubas. Recentemente, foi descoberta a existência de um livro do Bruxo do Cosme Velho nunca publicado.

Prêmio Nobel de 1982, o colombiano Gabriel García Márquez (1927-2014) é um dos principais nomes do realismo fantástico e do boom latino-americano. Escreveu obras que, como Cem Anos de Solidão, que foi publicado em 35 idiomas e vendeu 30 milhões de cópias, foram sucesso de crítica e de público. Entre elas, Ninguém Escreve ao Coronel, Crônica de Uma Morte Anunciada, O Amor nos Tempos do Cólera e Memórias de Minhas Putas Tristes. Relembre frases do autor.

Entre os livros do poeta, dramaturgo e escritor Ariano Suassuna (1927-2014) estão os inesquecíveis Romance d'A Pedra do Reino e O Auto da Compadecida. Relembre 15 frases do autor brasileiro.

O mineiro Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) é autor de poemas como Sentimento do Mundo, José e No Meio do Caminho.

A francesa Simone de Beauvoir (1908-1986) escreveu um dos '10 livros que mudaram o mundo': O Segundo Sexo, sobre a condição da mulher.

Autora de uma vasta obra, Agatha Christie (1890-1976) é a eterna Rainha do crime - e criadora de obras como Assassinato no Expresso Oriente, Morte no Nilo, entre outras que fazem sucesso até hoje.

A canadense Alice Munro (1931), vencedora do Nobel de 2013, é uma das principais contistas de sua geração. Entre seus livros disponíveis no Brasil estão Vida Querida, Felicidade Demais e A Fugitiva.

Um dos mais celebrados escritores americanos contemporâneos, Philip Roth (1933) anunciou que não escreverá mais ficção. Ele é autor de, entre outros livros, Pastoral Americana, O Complexo de Portnoy e Complô Contra a América.

O universo particular do escritor moçambicano Mia Couto (1955) pode ser conhecido em livros como O Último Voo do Flamingo, Terra Sonâmbula e O Outro Pé da Sereia.

O argelino Albert Camus (1913-1960) escreveu, entre outros, A Peste e O Estrangeiro.

Autor de A Caixa Preta e Como Curar um Fanático, Amós Oz (1939-2018) é uma das principais vozes da literatura israelense - e do debate sobre o conflito entre seu país e a Palestina.