Um dos grandes nomes do gênero faroeste, imortalizando o pistoleiro silencioso e implacável, o ator e diretor Clint Eastwood ganhou a voz em português do dublador mineiro Marcio Seixas.

Poucos minutos antes de atender a ligação da reportagem, Marcio estava justamente dublando um depoimento de Clint Eastwood sobre o filme de Quentin Tarantino, para um programa de TV.

Não deixa de ser curioso que a voz brasileira de Clint não tenha dublado o que ele considera um dos melhores faroestes de todos os tempos: “Os Imperdoáveis”, que ganhou o Oscar de 1993.

“Ele reinventou o tema, não abrindo mão da violência, do sangue, dos tiros. Mas Clint acrescenta um forte dado humano, ao mostrar uma prostituta torturada”, analisa Marcio.

O dublador também já emprestou a sua voz para John Wayne, outro nome fundamental do gênero. Mas nada se equipara a Clint: “Quando ele entrou em cena, foi aquele susto”.
 
Faroeste mineiro
 
Para homenagear um momento em que os faroestes chegavam ao Brasil via TV, dublados, o diretor mineiro Abelardo de Carvalho realizou “Faroeste”, filmado em Pains e lançado em 2014. “Busquei levar para o filme todos os elementos do gênero, desde a tela em cinemascope à dublagem”, registra. Um dos convidados, por sinal, foi Marcio Seixas, que dubla o personagem principal.

A predominância de ruídos na banda sonora do filme é uma referência ao clássico “Era uma Vez no Oeste” (1968), cujos primeiros 15 minutos são marcados pelo inquietante barulho de um catavento. “Um assistente chegou a pedir para consertar, mas Leone reagiu, dizendo que o mataria se fizesse isso”, conta Abelardo.