A união das palavras escritas por 37 mulheres é o que alimenta o livro "Elas, a alma, a cura", com lançamento marcado para esta quinta-feira (17) no Café do Espaço Cultural do Minas Tênis Clube. A antologia traz poesias de mulheres com as mais diversas trajetórias, tanto na vida quanto na escrita.

A obra foi editada pela Páginas Editora, empresa mineira também formada somente por mulheres, o que fez o livro, desde a escrita dos textos até o processo de editoração, uma criação exclusivamente feminina. "Temos uma preocupação muito grande em promover a escrita feminina, especialmente na poesia. Hoje já existem muitas mulheres publicando livros no geral, mas na poesia esse número ainda é pequeno", declarou Cláudia Rezende, editora da Páginas e uma das poetisas que publica no "Elas, a alma, a cura".

Ana Elisa Ribeiro já é uma veterana na área. A escritora e professora de 44 anos já tem mais de 30 obras publicadas em cerca de 20 anos. Só de poesia são oito publicações, além de livros infantis, juvenis, contos e outros textos. "Para este livro, fui convidada pela Leida [Leida Reis, publisher da Páginas Editora] e fiz um texto exclusivo, especial. Acho muito importante esse tipo de iniciativa, que, ainda bem, tem se tornado cada vez mais comum", conta Ana.

A jornalista Juliana Baeta, estreante na área da escrita literária, acredita que a publicação é essencial para dar visibilidade às mulheres que escrevem.

"É preciso que haja este incentivo à escrita feminina, não só na poesia, mas em todos os gêneros. Basta dar uma olhada em qualquer livraria para identificar que a maior parte dos livros é assinada por autores homens. Claro que dentre os grandes nomes da literatura brasileira e mundial temos escritoras reverenciadas, mas proporcionalmente, este número ainda é bem menor do que o de publicações masculinas. E isso não se deve à escassez de talento ou produção, mas a uma injustiça cultural pautada pelo machismo. É triste pensar, por exemplo, na enorme lacuna que há, na história, de livros escritos por mulheres na área da ciência ou da política, temas que, por muito tempo, foram tratados como 'assunto de homens'", comenta. 

Mulheres diversas

A poesia é a paixão em comum das escritoras reunidas no "Elas, a alma, a cura", mas as trajetórias e vivências traduzidas nas palavras são diversas, conforme contou Cláudia. "Temos engenheiras, advogadas, biólogas, psicólogas, com e sem experiência em escrita, temos mulheres da capital, do interior, de outro Estado", detalhou.

A heterogeneidade do grupo, para Ana Elisa Ribeiro, é um ponto muito positivo que, nas palavras dela, "mostra que a produção é muito viva, nunca parou, e reforça a importância desse tipo de obra".

Ana também comemorou a iniciativa e destacou que reunir mulheres e dar voz a elas em uma publicação que vai circular por aí é um ato político, apontando ainda o detalhe da editoração feita por mulheres, que, segundo ela, é algo mais raro do que mulheres escritoras.

Serviço

Lançamento Elas, a alma, a cura – Várias autoras
Data: 17/10/2019
Horário: das 18h30 às 21h30
Onde: Café do Espaço Cultural do Minas Tênis Clube – R. da Bahia, 2.244, Lourdes
Preço do livro: R$ 45,00