SÃO PAULO - Há cantores solo, duplas e trios, mas é a primeira vez que a música sertaneja terá uma típica "boy band", banda formada por meninos, no estilo Backstreet Boys e One Direction. O Tróia é formado por quatro jovens músicos: os irmãos paulistanos Hugo Henrique, 11 anos, e Felipe, 20 anos, que dividem as vozes com Michel, 21 anos, e com PH, de 19 anos.

"Todos nós já cantávamos profissionalmente e nos conhecíamos. Eu formava uma dupla com Felipe, irmão do Cristiano Araújo, o Hugo participava dos nossos shows. E o Michel é goiano, assim como eu", explica PH.

A ideia de formar um grupo sertanejo foi de Wilton Carlos, que era empresário de Cristiano Araújo e saiu em busca de quatro vozes diferentes, que pudessem se encaixar. "Quando nos convidaram, achamos um pouco estranho. Eu tinha acabado de sair de uma dupla, mas quando entendi melhor como isso funcionaria, fiquei apaixonado. A ideia é ter uma pegada mais pop, sem perder a nossa essência, que é sertaneja", defende PH, que foi a última voz a ser encaixada no quarteto.

"O legal é que estávamos acostumados apenas com a primeira e a segunda voz, e agora fazemos quatro vozes diferentes. Em certas canções, temos uma sensação de coral, o que dá força para a música", avalia Felipe, que vive no meio musical com o irmão, Hugo,
 desde os primeiros anos de vida.

"Canto desde os cinco anos. Todos nós compomos, e eu já chamava a atenção pelos meus graves", conta Hugo, que aprendeu a tocar violão com Felipe. O quarteto tem seu primeiro disco, "Teu Sorriso", nas lojas e já desponta com a canção "Ainda". A faixa já está entre as 30 mais tocadas nas rádios paulistas. O repertório do grupo é essencialmente formado por músicas românticas. Para os próximos discos, os quatro jovens já querem tentar emplacar as próprias composições.

SHOWS

Depois de gravar o primeiro disco, o quarteto se prepara para os palcos. O grupo já marcou os seus primeiros shows e mantém uma rotina de ensaios para mostrar do que uma "boy band" sertaneja é capaz. "Sempre gostamos de grupos desse estilo, como One Direction. E fomos ao show dos Backstreet Boys para tirar inspiração para nós", conta Hugo.

"Algumas músicas terão coreografias, mas nada como faziam os Menudos", brinca Michel, que se nega a rebolar no palco. "Será um pouco mais contido, a ideia é mostrar mais as vozes, mesmo", completa Felipe. Além de cantar, os meninos ainda vão tocar instrumentos musicais em algumas canções. Eles também sairão um pouco do repertório sertanejo em parte da apresentação. "Terá um momento do show que chamaremos de boate do Tróia, com músicas internacionais, como Bruno Mars e Backstreet Boys", revela Felipe.

CARREIRA INTERNACIONAL

Com a ambição em alta, o grupo já pensa grande e mira a carreira internacional. O videoclipe da música "Ainda" tem versões cantadas em inglês e em espanhol. "A música sertaneja tem pouco espaço lá fora, mas esse disco tem um som diferente, mais pop. Isso abre novos caminhos", completa o empresário Wilton Carlos, criador do grupo que já fez parte de uma "boy band" nos anos 1980 chamada Comboio. "Era um grupo de pop rock. Sempre gostei do formato e pensei que faltava algo parecido no sertanejo", diz.

A canção de trabalho dos cantores, que abusa do romantismo, fator presente nas letras de todo o disco "Teu Sorriso", já se faz presente nas rádios brasileiras. E o amor é tema até das faixas mais dançantes "Sem Querer" e "Me Leva Daqui". "Escolhemos músicas que falam de um amor que dá certo. Não faria sentido eles cantarem músicas com assuntos mais adultos, nem partir para o estilo infantil. Aliás, os meninos já têm fãs de todas as idades", defende o produtor musical do grupo, Raynner Sousa.

Os garotos do Tróia abraçaram a ideia. "A música sertaneja está muito igual, só se fala de bebida e balada, sempre em dupla ou com cantores solo. Nós cantamos em quatro vozes e com essa pegada pop, que é diferente demais", destaca o cantor Michel.