Para festejar o dia do pão de queijo, comemorado neste sábado (17), a Forno de Minas distribui milhares de unidades da iguaria em Belo Horizonte, São Paulo, Recife e Natal. Na capital mineira, quem passar pela Praça da Liberdade, Pampulha e Aeroporto Internacional de Belo Horizonte poderá degustar a delícia.

“Queremos levar o nosso sabor, a receita de família que cuidamos com tanto carinho e dividimos com o Brasil e o mundo há mais de 30 anos, para ser apreciada no dia dedicado à iguaria”, explica a diretora de Marketing da empresa, Valéria Favaretto.

A degustação realizada pela Forno de Minas, pioneira em comercializar o lanche congelado, continuará em algumas lojas de BH, Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Recife, Goiás e Distrito Federal até domingo (18). 

História do pão de queijo

Ao que tudo indica, a receita do pão de queijo nasceu em Minas Gerais no século XVIII. Dizem que, nas fazendas, servia-se pão com café aos senhores (donos das terras). Entretanto, a má qualidade da farinha fez com que as cozinheiras a substituíssem pelo polvilho. Surgem, assim, os primeiros pães de queijo, assados no fogão a lenha e preparados com ingredientes locais.

Porém, essa não é a única versão contada. Alguns relatos dizem que o polvilho, derivado da mandioca, uma herança indígena era a escolha utilizada como opção para o trigo, que dificilmente era encontrado no Brasil antes do século XX.

Embora haja divergências sobre a origem, a paixão dos mineiros pela iguaria é unanimidade. Tanto que a mistura de queijo, polvilho, leite, ovos, sal e manteiga extrapolou as fronteiras do Estado.