Ouvir o álbum “Bridges, Friends and Brothers” é um exercício bastante interessante. Nesse álbum, o músico, compositor e produtor americano Eric Silver apresenta versões em inglês para clássicos da música sertaneja brasileira, como “Romaria”, “O Menino da Porteira”, “Evidências” e “Um Violeiro Toca”.

O exercício é ouvir o disco sem ver que música está tocando e tentar reconhecer as canções nas versões diferenciadas que o músico realizou. Melhor ainda para quem entende o inglês e percebe que as traduções foram literais.

“Passei mais tempo traduzindo as músicas do que gravando-as. Como quis mostrar essas músicas para pessoas que não entendem o português, seria ruim perder o significado dessas músicas”, afirma Eric Silver, que recentemente produziu o álbum “AR”, de Almir Sater e Renato Teixeira.

Por sinal, esses dois amigos estão presentes no álbum com composições e vozes. Sérgio Reis, Sergio Britto (Titãs) e Paula Fernandes também participam do álbum.

Bonadio

O contato com a música brasileira teve início na década de 80, quando Almir Sater foi gravar em Nashville, a Meca da música country americana, onde Silver tem estúdio. Anos depois, o produtor passou a vir frequentemente ao Brasil, especialmente para parcerias com Rick Bonadio.

O contato com Teixeira e Almir foi fundamental para despertar o interesse por álbum focado na música sertaneja. “O álbum levou um ano e meio para ficar pronto. Havia muitas possibilidades e eu queria achar novas roupagens para as músicas. ‘Romaria’, por exemplo, muitos já gravaram. Pensei: ‘como posso fazer uma nova versão para essa música, de forma moderna?”, diz Silver.

O artista ainda não montou um show baseado nesse álbum. Ainda não se adaptou com nosso jeito de trabalhar o mercado cultural. “Lá em Nashville, todos os profissionais da música se concentram em uma rua. Lá é bem mais fácil encontrar os profissionais e acertar os contratos”.