Uma criança de dois anos caminha com liberdade pelo palco, tentando acompanhar os músicos dançando e cantando. Esse é, para o diretor Cássio Pinheiro, um dos pontos altos do espetáculo “Concerto para Bebês do Brasil”, apresentado pela primeira vez em 2017 e que, neste sábado (11), terá duas sessões gratuitas em Brumadinho, cidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte vítima de uma tragédia ambiental em janeiro.

“Já fizemos mais de 40 apresentações e, em todas elas, eu me emociono. Mas desta vez a emoção será diferente, pois sempre estivemos num ambiente de conforto emocional e agora não. A tragédia ainda muito clara na cabeça das pessoas”, registra Pinheiro. Voltado para crianças pequenas, de zero a cinco anos, o espetáculo busca trabalhar aspectos sensoriais ao misturar música e artes cênicas.

O aspecto que mais encanta Pinheiro é acompanhar a ampla aceitação da plateia mirim, que se encanta com obras de natureza musical mais complexa, num repertório que tem Tom Jobim, Carlos Gomes, Guerra-Peixe e Pixinguinha. “Os sons e timbres dialogam sensorialmente com as crianças de maneira formidável. Algo que talvez não veríamos em crianças mais velhas”, destaca o diretor.

O espetáculo foi inspirado numa peça portuguesa, apresentada no Festival Internacional de Teatro Palco e Rua de Belo Horizonte, em 2014. “Eu comprei os direitos, mas o idealizador Paulo Lameira me aconselhou algo meu mesmo. A peça dele era mais musical, e como sou ator e diretor, ele viu que poderia ficar mais teatral. Fiz a seleção das músicas e o resultado ficou fabuloso”, registra.

Único ator em cena, Luiz Gomide conduz a dinâmica do espetáculo, que conta com sete multi-instrumentistas revezando entre diferentes timbres e sonoridades. Entre os instrumentos estão um acordeom de 16 baixos, contrabaixo acústico, viola caipira, cavaquinho, saxofone, além de oito tipos de flauta de madeira, três tipos de flautas de metal.

 

SERVIÇO:

“Concerto para Bebês do Brasil” – Sábado (11), às 11h, no CRAS Brumadinho (Teatro da Praça, Rua Belmira da Silva Moreira, Bairro COHAB); e às 15h, no Centro Comunitário do Córrego do Feijão (Salão Comunitário, Rua 6, s/n). Entrada franca.