Dá para ser geek também na roupa. É isso que o grupo Moda Harajuku MG apresenta no Nerd Experince. "Aqui no estande a pessoa pode ler um pouco sobre a moda. Temos vários cartazes. Quem vier pode conversar com a gente, tirar dúvidas e entender como começar", explica Vitoria Barros, uma das coordenadoras do grupo.

Ela destaca que a moda Harajuku, conhecida também como j-fashion, é aberta para todas as idades e gêneros. "O membro mais velho do nosso grupo tem 43 anos, algumas meninas que participam também já são mães. E não é uma coisa só feminina, alguns rapazes também também fazem parte", sublinha. 

Adepta da moda lolita, Alessandra Lessa, que também coordena o grupo, destaca a importância desse tipo de estande. "Já fazemos isso há cerca de 10 anos, muitas pessoas conheceram através das nossas salas e a comunidade aumentou muito", conta.

Importância

Alessandra conta que o uso das roupas - que geralmente acontece em eventos ou encontros entre os adeptos - acabou a ajudando muito em um momento delicado da vida. "Quando comecei estava numa fase muito ruim e a moda lolita me deu uma nova visão, comecei a sair de casa, fiz novas amizades", lembra.

A experiência também foi importante para a autoestima de Alessandra. "Isso acabou me levando a conhecer meu namorado. Eu digo que a moda lolita vai além das roupas, também é uma ferramenta importante para a saúde mental", afirma.