Em uma publicação feita nas redes sociais na última sexta-feira (23), a escritora, atriz, roteirista e apresentadora de TV Fernanda Young, que morreu aos 49 anos neste domingo (25), disse estar longe de encerrar sua jornada na terra. "Sou uma mulher de 50 anos que sonhou alto e realizou muito. E estou longe de encerrar a minha jornada nessa orbe", escreveu em uma espécie de desabafo publicado em seu Instagram. 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

As pessoas me acham maluca, mas estou observando tudo - de dentro e de fora. Pensam que não percebo as suas falcatruas, mas ser gentil não significa ser otaria! Trabalho feito uma vaca, pago essas merdas desses impostos, não vejo uso para eles, escuto que mamo em tetas do governo; divirto as pessoas, ofereço poesia, e lido com ignorâncias proferidas por um bando de escroto que mete Deus nos seus discursos hipócritas. Deito e levanto cansada porque nunca peguei um centavo de ninguém e tudo o que tenho é fruto de TRABALHO. Não herdei, não ganhei, nem sou sustentada! Tenho 4 filhos que estão aprendendo a serem éticos e livres. E o que ouço? É louca! O que vejo? A nossa cultura material e imaterial, a nossa língua, a nossa fauna, flora, sendo esganiçada, sacaneada, por ogros maléficos. Estamos virando uma gente porcaria, afinal “piorar é mais fácil”! E fica tão claro o oportunismo das ratazanas sorrateiras, que veem na “loucura do criador”, achando-nos dispersos, irresponsáveis, ricos, nesgas para sermos passados para trás! Comigo, não! Não! Sei reconhecer um lápis meu em meio a um milhão! Não estive “calada nos últimos 14 anos”, não aceito desaforo! Sou uma mulher de 50 anos que sonhou alto e realizou muito. E estou longe de encerrar a minha jornada nessa orbe! Aos que se interessam: bom proveito. Para os outros: estou pouco me lixando! ⚔️ (Texto escrito no ônibus. Ganho para escrever. Aqui ofereço de graça e com erros. “Flagra” de @e.mym que postou a foto com uma legenda muito mais sábia.) 🖤

Uma publicação compartilhada por Fernanda Young (@fernandayoung) em

No texto, Fernanda Youg dizia ser chamada de louca e escutar que "mama em tetas do governo". "A nossa cultura material e imaterial, a nossa língua, a nossa fauna, flora, sendo esganiçada, sacaneada, por ogros maléficos (...)Não estive 'calada nos últimos 14 anos', não aceito desaforo!", escreveu. 

Segundo informações da Globo News, a morte aconteceu em Paraisópolis, no Sul de Minas, onde ela foi internada com uma crise de asma e acabou sofrendo uma parada cardíaca. Ela estava no sítio de sua família, em Gonçalves, na mesma região, quando passou mal. O enterro deve acontecer neste domingo em São Paulo. 

Fernanda Young foi roteirista das séries de grande sucesso na Globo, "A comédia da vida privada" e "Normais". Ela também se preparava para estrear uma peça em São Paulo chamada "Ainda nada de novo". É, ainda, autora de livros como "Dores do amor romântico" e "O pau". 

Leia mais: 
Fernanda Young morre aos 49 anos neste domingo
'Queria ser bissexual, todo mundo gostaria', diz Fernanda Young
Série 'Shippados' estreia em junho, com Tatá Werneck e Edu Sterblitch