De “prenda” que qualificava futuras esposas a uma prática mal vista após os anos 60, quando movimentos contestatórios como o feminismo ganharam força. Essa é apenas parte da trajetória dos bordados mostrada na exposição “Bordado em Memórias”, que começa no sábado e segue até 3 de novembro no Memorial Vale.

Baseada na pesquisa de mestrado de Isabella Brandão, que estudou a evolução desse trabalho manual em BH, a mostra tem entrada gratuita. O Memorial Vale fica à Praça da Liberdade, 640, esquina com Gonçalves Dias.