Neste 7 de agosto, celebramos uma das bebidas mais populares do mundo. Comemorado sempre na primeira sexta-feira de agosto, o Dia Internacional da Cerveja coloca em foco a rica história da bebida, desenvolvida há seis mil anos na Mesopotâmia e consumida em todos os cantos do planeta.

Vendida em vários tipos de estabelecimentos e nas mais diferentes versões, a cerveja está sempre rodeada de lendas. Há quem diga que ela deve sempre ser servida gelada e que as melhores estão em garrafas. Depois do caso da cervejaria mineira Backer, quando bebidas contaminadas causaram a morte de dez pessoas e a internação de outras dezenas, o número de informações infundadas passou a circular ainda mais entre os consumidores.

Para que o público possa apreciar de forma ainda melhor a sua cervejinha (seja ela industrializada ou artesanal), a reportagem fez um tira-dúvidas com Marco Falcone, vice-presidente do Sindicato das Indústrias de Bebidas em Geral de Minas Gerais (Sindbebidas), diretor da Associação Brasileira de Cervejas Artesanais (Abracerva) e um dos sócios da cervejaria Falke Bier, uma das pioneiras na produção artesanal no Brasil.

Confira as explicações do mestre-cervejeiro sobre o que há de verdadeiro ou falso em algumas frases que costumam ser trocadas entre apreciadores da bebida:

- Cerveja em garrafa é melhor do que a cerveja em lata.

FAKE
A cerveja de garrafa normalmente tem assédio da luz, que pode muitas vezes gerar um defeito, muitas vezes em garrafas verdes. E a lata não tem problema com luz. Então, é uma lenda, realmente as duas formas podem oferecer qualidade.

- Ao servir a cerveja, o ideal é deixar um colarinho.

FATO
Isso é obrigatório, a cerveja para ter qualidade tem que ter colarinho. Porque o colarinho mantém a cerveja isolada do ar, que não vai deixar que seja oxidada, retém aromas, sabores e temperatura do copo. Os lugares onde se serve cerveja ou chope sem colarinho nós chamamos de cerveja amadora. Normalmente cobram até mais caro quando servem sem colarinho.

- O copo utilizado faz diferença na hora de consumir a cerveja.

FATO
O copo da cerveja faz toda a diferença. Cervejas mais alcoólicas, como as belgas, requerem uma taça mais aberta, inclusive porque podem ser aquecidas com as mãos, como na taça de conhaque, para que os aromas e sabores possam “explodir” e o álcool se volatize, para não atrapalhar a percepção do aroma. Por exemplo, cervejas de trigo demandam aquele copo grande porque vai possibilitar a alta carbonatação se dissipar mais rapidamente na cerveja. Então cerveja realmente tem que ter cada uma seu copo.

- A melhor cerveja é aquela estupidamente gelada.

FAKE
Cada cerveja tem sua temperatura de serviço. As mais alcoólicas são mais interessantes em temperaturas mais altas, e as cervejas claras e mais leves realmente com temperaturas mais baixas, mas nunca estupidamente gelada. Essa foi uma lenda que as cervejas industriais lançaram para anestesiar nossas papilas gustativas contra possíveis defeitos que tenham na cerveja.  

- Cerveja engorda e faz mal à saúde.

FAKE
Cerveja é uma bebida extremamente saudável, quando pessoal fala barriguinha de chope normalmente é por causa do tira-gosto. Naturalmente, as cervejas que não são puro malte, feitas com milho, arroz e cereais não maltados, geram residual de açúcar, essas, sim, engordam. Prefira cervejas que utilizem cereais maltados, que oferecem saúde melhor para quem está bebendo a cerveja.

- Cervejas produzidas por grandes indústrias são mais seguras do que as artesanais.

FAKE
Cervejas artesanais, que são aprovadas pelo Ministério da Agricultura, são rigorosamente fiscalizadas, até mais do que as industriais. São extremamente seguras. Há um estigma deixado pelo caso Backer, que é um caso absolutamente pontual e à parte, porque realmente perderam o controle. Mas, o público pode ter certeza que as artesanais possuem um altíssimo padrão de qualidade e por isso conquistaram o mercado.

- A cerveja artesanal sempre tem um teor alcóolico maior do que a produzida em alta escala.

FAKE
Depende do estilo. Tem cerveja artesanal que tem 15% de álcool, mas tem também aquela com 3%. Enquanto a cerveja industrializada, normalmente, segue padrão de 4,5% de álcool.

- Cerveja deve ser pasteurizada para ter boa qualidade.

FAKE
As cervejas artesanais não pasteurizadas, se transportadas e servidas refrigeradas, são muito mais saborosas, porque a pasteurização envolve um envelhecimento precoce da cerveja – o que não tira a qualidade, mas tem um detrimento no frescor. A pasteurização da cerveja foi muito importante porque permitiu que a bebida viajasse e se disseminasse para locais longínquos.