Imortalizada por seu compositor, o músico austríaco Wolfgang Amadeus Mozart, “A Flauta Mágica” foi reverenciada por várias gerações e diferentes esferas da arte – como no filme de mesmo nome de 1975, dirigido pelo sueco Ingmar Bergman – e se tornou uma das óperas mais importantes do mundo. Obra esta que receberia uma montagem da Fundação Clóvis Salgado (FCS) neste mês, mas que, em função do isolamento social, acabou cancelada.

A instituição resolveu então prestar uma homenagem por meio de um vídeo, com uma interpretação operística para “A Rainha da Noite”, que faz parte de “A Flauta Mágica”. A ária fica a cargo da soprano Daiana Melo, do Coral Lírico de Minas Gerais, acompanhada pela Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (OSMG). A direção musical é do maestro Sílvio Viegas. O material integra o projeto #PalácioEmSuaCompanhia e será disponibilizado no Instagram e no Facebook da FCS a partir das 10h deste domingo (24).

Uma parcela da gravação foi feita com uma equipe no palco do Grande Teatro Cemig Palácio das Artes, respeitando os cuidados de higienização. Os músicos da orquestra gravaram suas partes em suas respectivas casas. A produção e edição do vídeo ficaram nas mãos de Alysson Rodrigues (viola) e Sérgio Rabello (violoncelo), ambos da OSMG.

“Quando recebi o convite, topei imediatamente. Realizamos algumas reuniões remotas, e planejamos com cuidado toda a organização da gravação. Aprendi a fazer minha própria maquiagem e a arrumar o cabelo conforme a personagem, e selecionei um vestido pessoal para o figurino, já que não haveria uma equipe especializada para definir os adereços”, afirmou Daiana.

“Foi uma experiência complexa. Ao ver a casa completamente vazia, fiquei profundamente tocada. Nós, artistas e funcionários administrativos, estávamos diariamente naquele espaço, convivendo com uma grande quantidade de pessoas. Tive uma percepção imediata do papel fundamental da arte na vida de cada um atualmente e da importância de continuarmos produzindo obras tão sensíveis”, completa a soprano.

FCS