O riso vem da comédia; o sorriso é a resposta espontânea ao se deparar com um truque que desafia a noção da lógica do espectador. É na aposta da junção dessas duas reações que o ator, mágico e comediante Gabriel Louchard mistura as duas paixões de criança para suprir a ausência de espetáculos de ilusionismo na cena artística brasileira.

“Nada melhor do que fazer o impossível acontecer e tornar isso natural, leve, descontraído. Acredito que a figura tradicional do mágico de fraque e cartola e direcionado apenas para crianças já acabou”, adianta Louchard, que promete um repertório moderno e de bastante interação com o público.

“Nosso espetáculo já permite à criança achar que mágico é um super-herói e ao adulto saber que não tem esses poderes, mas que, por outro lado, vê um artista fazer algo que parece impossível”, diz.

A turnê “Ilusões – Festival Internacional de Mágicas” chega neste domingo a Belo Horizonte comandado por Gabriel Louchard, que tem sua própria performance e atua como mestre de cerimônias para outros cinco números de artistas do indecifrável que recorrem a técnicas como escapismo, mímica e também à tecnologia para deixar uma “pulga atrás da orelha” da platéia.

“Na comédia e no teatro não há preocupação com o erro. O máximo que pode ocorrer é a pessoa não rir e você se vira com isso. Dá para improvisar, mas a mágica não permite erro, que revela o segredo e acaba com a magia necessária”, explica Gabriel Louchard.

Da França vêm os ilusionistas Moulla e Norbert Ferré, enquanto o norte-americano Christopher Hart mostra artimanhas que o tornaram famoso com o personagem Mãozinha nos filmes “A Família Addams”, da década de 1990. Além de Gabriel Louchard, a apresentação tem os brasileiros Andrélly e a dupla Vik e Fabrini, que encena uma esquete sucesso do gênero há 37 anos, com a qual ganharam o primeiro prêmio na FISM (Federação Internacional de Sociedades Mágicas), na Holanda, em 1988.

SERVIÇO:
Ilusões – Festival Internacional de Mágicas
18 de agosto (domingo), 19h 
Teatro Sesiminas (R. Padre Marinho, 60 – Santa Efigênia)
Ingressos de R$ 30 a R$ 80