O que é “música histórica”? O termo será explicado – e bem exemplificado – a partir desta sexta-feira (19) até dia 28, no 2º Festival Internacional de Música Histórica de Diamantina. Na programação (gratuita), haverá oficinas, palestras, saraus e shows. O tema, bem diverso e histórico é: “De la Mancha ao Sertão: o Ibérico na tradição musical do Brasil”.

Na verdade, na primeira edição do evento foi adotado o termo “música antiga”, nascido do projeto de restauração do órgão do século 18, instalado na Igreja do Carmo, na cidade.

Coordenadora executiva do evento, Marcela Bertelli trabalhou neste projeto. E explica que, após a conclusão dos trabalhos, o organista Marco Aurélio Bréscia, que coordenou a empreitada, percebeu que “devolver a sonoridade do instrumento era tão importante quanto devolver o bem restaurado”. Daí, ele mesmo idealizou o festival.

Mas aí veio a constatação de que o conceito de “música antiga” restringia o repertório, deixando à parte a produção musical atual da própria comunidade. “A cidade tem três bandas, uma orquestra, compositores, chorões, seresteiros, grupos de música antiga”.

CAPOEIRA

E não só. Marcela lembra, ainda, que a equipe foi procurada por um grupo de capoeira que defendia “que a música deles era antiga, ancestral”. Ela endossa: “A música é mais do que o som”. A música, conclui, dialoga com a arquitetura, com a literatura, com a sociedade. Assim, “histórica” seria toda música que a gente pode conhecer dentro de um contexto no tempo e no espaço.

O tema da nova edição está na frequência desse entendimento. E neste nobre convite para viver experiências culturais mais amplas, aparece o grupo de pífanos Caixa de Assovios, do Serro. Pífanos, em Minas? “Nosso grupo deve ter quase a idade do Serro. Que eu saiba, sou a terceira geração de pifeiros por aqui”, responde Robson Ferreira Mota, 38 anos. “Aprendi de ouvido com meu pai, desde criança, e acabei de treinar com o ‘seu Jadir’, que é o líder do Caixa de Assovios”.

“E isso é ibérico”, completa Marcela, sobre a origem do instrumento. Nos dias 25 e 26, outro pifeiro, mas de BH, Daniel Magalhães vai ministrar uma oficina para ensinar a fazer o instrumento. “Sabe quanto custa o material para a oficina inteira? R$ 40. É tudo muito simples. É furadeira e taquara”, diz a coordenadora.

PROGRAMAÇÃO

19 de Fevereiro - Sexta-feira
16h - Abertura com apresentação da programação do Festival. Local: Casa de Chica da Silva
20h - Concerto: Favola d'Argo (PRT/ESP) - José Joaquim Emerico: a sua música, o seu órgão, as suas Minas. Local: Igreja N. Sra. Do Carmo
21h30 – Retreta: Banda Euterpe. Local: Mercado Velho

20 de Fevereiro – Sábado
9h - Mini-curso de construção de pandeirões. Local: Museu do Diamante
14h30 - Ciclo de debates. Local: Casa da Glória
20h - Concerto: Folia - Rosa Armorial, com participação de Antônio Madureira. Local: Teatro Santa Izabel

21 de Fevereiro – Domingo
9h - Mini-curso de construção de pandeirões. Local: Museu do Diamante
11h - Aula-espetáculo com Ivan Vilela. Local: Teatro Santa Izabel
14h30 - Ciclo de debates
18h - Aula-espetáculo com Carles Magraner. Local: Teatro Santa Izabel
20h – Sarau. Local: Recanto do Antônio

22 de Fevereiro- Segunda-Feira
9h - Mini-cursos de práticas interpretativas. Local: Espaços diversos
14h30 - Curso de órgão. Local: Igreja N. Sra. Do Carmo
20h - Aula-espetáculo com Antônio Madureira. Local: Teatro Santa Izabel

23 de Fevereiro - Terça-feira
9h - Mini-cursos de práticas interpretativas e Curso de órgão. Local: Espaços diversos
14h30 - Curso de órgão. Local: Igreja N. Sra. Do Carmo
20h - Concerto: Cervantes, Dom Quixote e a música: donde hay música no puede haber cosa mala - Capella de Ministrers (Espanha), com participação de Antonia Muñoz. Local: Igreja de São Francisco

24 de Fevereiro - Quarta-feira
9h - Mini-cursos de práticas interpretativas e Curso de órgão. Local: Espaços diversos
20h - Concerto: O órgão ibérico no tempo de Cervantes - Edite Rocha (Portugal). Local: Igreja do Carmo
21h30 – Sarau. Local: Recanto do Antônio

25 de Fevereiro - Quinta-feira
9h - Mini-cursos de práticas interpretativas. Local: Espaços diversos
20h - Recital de alunos do curso de órgão. Local: Igreja do Carmo

26 de Fevereiro Sexta-feira
9h - Mini-cursos de práticas interpretativas. Local: Espaços diversos
20h - Concerto: Memórias de um passado presente: música de convívio na Diamantina oitocentista - Quarteto Diamantino (Brasil). Local: Igreja do Amparo

27 de Fevereiro - Sábado
11h – Caixa de Assovio do Serro e Daniel Magalhães (Brasil). Local: Mercado Velho
20h - Concerto: O órgão cervantino no contexto pan-hispânico - Cristina García Banegas (Uruguai). Local: Igreja do Carmo

28 de Fevereiro - Domingo
11h - Concerto: Romanceiro popular brasileiro – Ilumiara (Brasil) convida Ori Harmelin (Alaúde), Hudson Lacerda (violão) e Aline Cantia (narração de textos). Local: Igreja do Rosário

PROGRAMAÇÃO MINI-CURSOS
As inscrições gratuitas devem ser feitas no: www.musicahistoricadiamantina.com

Órgão
 

Local: Igreja do Carmo
Numero de alunos: 12
Data: 22 a 24/02
Horários: 14h30 às 18h, dia 22 / 9h às 12h e 14h30 às 18h, dia 23 / 9h às 12h, dia 24
Carga horária: 12h
Professoras: Edite Rocha e Cristina Banegas

Construção de pandeirões e percussão
 

Espaço: Museu do Diamante
Numero de alunos: 25
Datas e Horários: 20/02 - 9h00 / 13h00, 21/02 - 9h00 / 11h00, 22/02 e 23/02 - 9h00 / 12h30
Carga horária: 12h
Professores: Carlinhos Ferreira e Pablo Ignacio Ballester

Canto
 

Espaço: Teatro Municipal Santa Izabel
Numero de alunos: 15
Data: 22 e 23/02
Horários: 9h às 12h30
Carga horária: 7
Professora: Delia Agúndez
Observação: Fornecer uma clavinova (piano elétrico)

Cordas friccionadas
 

Espaço: Casa de Chica da Silva
Numero de alunos: 12
Data: 22 e 23/02
Horários: 9h às 12h30
Carga horária: 7h
Professor: Carles Magraner
Observação: Violinistas, violistas, violoncelistas, gambistas

Cordas dedilhadas

Espaço: Casa de Chica da Silva
Numero de alunos: 25
Data: 22 e 23/02
Horários: 9h às 12h30
Carga horária: 7h
Professor: Robert Cases
Observação: Violonistas e demais instrumentistas de cordas dedilhadas

Viola caipira iniciantes

Espaço: Casa da Glória
Numero de alunos: 15
Data: 22 a 26/02
Horários: 9h às 10h
Carga horária: 5h
Professor: Ivan Vilela
Observação: Viola de 10 cordas

Viola caipira músicos não iniciantes

Espaço: Casa da Glória
Numero de alunos: 15
Data: 22 a 26/02
Horários: 10h às 12h
Carga horária: 10h
Professor: Ivan Vilela
Observação: Viola de 10 cordas

Pífanos
 

Espaço: Casa de Chica da Silva
Numero de alunos: 25
Data: 25 e 26/02
Horários: 9h às 12h30
Carga horária: 7h
Professor: Daniel Magalhães
Observação: O mini-curso inclui a construção dos pífanos