Realizado desde 2009, o Festival Perpendicular reúne, até 25 de maio, em formato online, artistas renomados da área da performance, que apresentarão trabalhos  que refletem as questões do momento atual.

O evento propõe o revisionismo histórico e a criação de imaginários em contexto de crise Em sua 18ª edição, ele investiga espaços físicos, territórios de pertencimento, imaginários e formas de proteção, reunindo artistas e pesquisadores que atuam em contextos diversos e lidam com temáticas distintas das hegemônicas.

De acordo com Wagner Rossi Campos, coordendador do festival, a realização em meio à pandemia  consiste em espaço de reflexão e criação, a partir da proposição "O que será do meu corpo na rua?".

 

Neste domingo (16), o palco online  do festival receberá o músico Nelson D para uma apresentação de sonoridades orgânicas e tradicionais, mescladas com processos tecnológicos da música eletrônica.

Naa segunda (17), às 19h, será a vez de Yuri Tripodi, artista transliguagem, que apresenta uma Fala Performativa. Logo depois, às 20h,  acontece uma apresentação de Videoperformance da artista transdisciplinar baiana Laís Machado, seguida de uma conversa sobre Processos Artísticos com a pesquisadora Ana Cecília Soares.

Na terça-feira (18), a partir das 19h, acontecem atividades simultâneas: será iniciaado o ciclo de três ulas de Yoga com o professor e instrutor Danilo Patzdorf e a apresentação do projeto “Samba Exaltação”, do artista Felippe Moraes, que conversa logo em seguida com a pesquisadora Ana Cecília Soares.

Na quarta (19), a programação oferece a “Noite de Guerrilha”, começando às 19h com uma Leitura Poética da artista Abigail Campos Leal. Às 20h, haverá um papo sobre Processos Artísticos com Priscila Rezende e Ana Cecília Soares, e, às 21h, com Davi de Jesus de Nascimento e Anderson Feliciano. Os artistas também apresentam suas Videoperformances.

No dia 20/05, na quinta-feira às 19h, novamente acontecem atividades simultâneas: