Festival premia DJs e produtores da cena eletrônica de BH

Cinthya Oliveira - Hoje em Dia
28/05/2014 às 07:17.
Atualizado em 18/11/2021 às 02:46
 (Nino Andres)

(Nino Andres)

Belo Horizonte é inegavelmente um profícuo pólo produtor de música eletrônica. Mesmo assim, há muito trabalho a ser feito para que a cena seja tão respeitada quanto a de São Paulo. Uma iniciativa que deve fazer a diferença é o Primeiro Festival de Experimento Brasileiro (FEEBRA), com o objetivo de premiar artistas e profissionais relacionados à música eletrônica de Belo Horizonte em seis categorias. A premiação acontece esta noite, no CCCP.
 
Com recursos do Fundo de Projetos Culturais da Fundação Municipal de Cultura, o evento tem como principal objetivo o fortalecimento da cena eletrônica local, que não vivencia mais o auge da virada do século. De acordo com o curador e criador do projeto, o DJ e produtor Rafael Mendes, embora o público não seja tão grande quanto há dez anos, a qualidade dos talentos da cidade é de alto nível.
 
“A cena eletrônica de BH teve um forte começo, porque foi muito bem construída e executada pelo Anderson Noise, que fazia festas em lugares inusitados nos anos 90. Muitas pessoas aderiram ao eletrônico e teve seu auge na década passada”, explica Rafael Mendes. “Mas tudo que fica muito popular logo é substituído. A partir de 2010, houve uma queda na qualidade dos eventos, mas os bons artistas não pararam de aparecer. A cena é hoje menor do que foi em seu auge, mas o seu núcleo artístico é muito melhor”.
 
Para o curador, é importante que haja um trabalho de divulgação da cultura eletrônica. “As pessoas precisam saber que a trilha não é feita por um cara que apenas aperta o play, mas que há todo um processo musical no trabalho do DJ que é muito reconhecido fora daqui”.
 
Primeiro Festival de Experimento Brasileiro (FEEBRA) no CCCP (rua Levindo Lopes, 358, Savassi – 3582-5628). Nesta quarta-feira (28), às 19 horas. Exclusivo para convidados.
 
Confira os concorrentes do FEEBRA
 
Melhor DJ:
Anderson Noise, Carlos Kroeff, Jota, Nedu Lopes e Robinho
 
Melhor Produtor:
7 Estrelo, Anderson Noise, Digitaria, Dirtyloud e Funky Fat
 
Revelação:
Devochka, Lauro Vioti, Little John, Pedro Neves e Rafael Zocrato
 
Melhor Identidade Visual:
Brayham Hawrliszyn, Diogo Fraga, Pedro Melo, Vinícius Póvoa e Wally Marcelo
 
Melhor Música:
“ Machine Must Die” (Anderson Noise), “ Kick it Hard” (Ftampa), “ Jealousy” (Funky Fat), “Bodywork” (Tamar Sabadini ) e “Stripped” (The Fish House)
 
Melhor Casa Noturna:
NaSala, Clube do Chalezinho, Deputamadre, Secreto e Velvet

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por