A relação entre música clássica e pintura é o tema do concerto a ser apresentado neste sábado (20) pela Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, em Belo Horizonte. No palco, as apresentações irão trazer releituras de canções para obras dos pintores Sandro Botticelli, Cândido Portinari e Arnold Böcklin.

O programa integra o projeto “Fora de Série”, realizado pela Filarmônica em 2019. A ideia é destacar a conexão entre a música e outras manifestações artísticas. 

A apresentação deste sábado é composta pelas peças “Tríptico Botticelliano, do italiano Ottorino Respighi (1879–1936), “Quatro Poemas Sinfônicos sobre Arnold Böcklin, op. 128”, do compositor alemão Max Reger (1873–1916) e “Tributo a Portinari”, do brasileiro César Guerra-Peixe (1914–1993).
De acordo com o maestro Fábio Mechetti, a iniciativa também busca mostrar a diversidade dos compositores. 

“Embora o conteúdo do concerto seja o mesmo, a estética e as características da obra de cada compositor são bem diferentes. Vamos poder expressar essa diferença de uma maneira muito clara”, diz. 

O espetáculo deste sábado se destaca, ainda, pelo formato informal e didático. “Vamos projetar as obras de arte nas paredes e explicar um pouco sobre como cada compositor interpretou aquelas pinturas e tentou descrevê-las musicalmente”, conta Fábio Mechetti.

Para todos

Com o modelo mais descontraído, a apresentação é uma boa pedida para as pessoas que ainda não assistiram a um concerto da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

“Conversamos com a plateia, explicamos. É interessante tanto para quem tem pouca experiência quanto para o público que já está acostumado com os concertos, porque é sempre bom aprender mais. E a função da cultura é essa, ampliar o leque”, afirma o maestro. 

Serviço:
Orquestra Filarmônica de Minas Gerais apresenta “Fora de Série – Música e Pintura”, sábado, às 18h, na Sala Minas Gerais (Rua Tenente Brito Melo, 1090 – Barro Preto). Ingressos entre R$ 23 e R$ 140