Arte urbana, gastronomia, música e história. Ingredientes que estão reunidos em um único local de Belo Horizonte: no boêmio bairro da Lagoinha, na região Nordeste da cidade. Os atrativos fazem parte da programação do Circuito Urbano de Arte, o Cura, que, até este domingo (15), ocupa o primeiro bairro da capital mineira.

Quem for ao evento vai poder conferir os murais que estão sendo pintados em muros, fachadas e bares. As intervenções são feitas a partir do olhar de artistas estrangeiros e locais. Do mirante montado na rua Diamantina, altura do número 720, é possível acompanhar todo o trabalho a partir de um ângulo privilegiado. Detalhe importante: a entrada é gratuita!

“Queremos colocar a Lagoinha como lugar de destino, para que as pessoas possam se apropriar da história e da cultura que o bairro tem”, destacou Daniel Queiroga, idealizador do projeto Casas da Lagoinha e incentivador do Cura no bairro. 

A artista plástica Nila classificou como desafiador o trabalho que está desenvolvendo durante o festival. Pela primeira vez, saiu de dentro de um atelier para expor a própria obra na rua. Nila é responsável pela pintura do Armazém 08 - restaurante construído em 1926. “Estou amando o resultado e a experiência”, revelou. 

Diversão 

Aém das interferências urbanas, o Cura também tem rodas de conversa, flash tattoo, feira de gastronomia e ações de uma cervejaria belo-horizontina Wäls. Tudo embalado por música boa de DJs que se apresentam até as 22h. A programação se repete no domingo. 

Copo Lagoinha

A Wäls aproveitou o Cura para fazer uma homenagem ao bairro: lançou a cerveja "Copo Lagoinha". O nome, popularmente difundido em BH, surgiu na década de 1960, justamente no bairro Lagoinha, que, naquela época, já era uma das principais zonas boêmias da capital. O gerente de marketing da cervejaria mineira, Arnaldo Garcia, explicou que o tributo é para reforçar o símbolo da Lagoinha para a cidade. 

O patrocinador do festival também promoveu um tour pela Lagoinha e arredores para contar a história do bairro e a importância dele para BH. Durante o passeio, restrito para convidados, a memória de alguns pontos da cidade, como o Cemitério do Bonfim, Conjunto Habitacional IAPI, Casa da Loba, dentre outros, foi resgatada. “Aqui é o espelho da cidade”, brincou Queiroga.

História

O Cura começou no último dia 5 e, desde então, conta com um time de 11 artistas e coletivos. A primeira edição do festival aconteceu em agosto de 2017, quando dois murais foram pintados - um na Estação Central do Metrô e outro na fachada da Benfeitoria. 

Em 2018, o festival cresceu e dez prédios e três muros receberam as pinturas especiais. As obras podem ser conferidas do mirante da rua Sapucaí, no bairro Floresta, região Leste de BH.

Confira a programação dos últimos dois dias do Cura na Lagoinha:

Sábado

11h30 às 13h –A Lagoinha dos Mirantes – um passeio com Daniel Queiroga / Casas da Lagoinha
12h às 22h – Flash tattoo com Bruna Olira e Bárbara Daros
14h – Ação surpresa Wals

Mirante Lagoinha

12h às 14h – DJ Alex C
10h às 22h – Mercado de Comida de Rua – Lançamento do selo: Estômago da Lagoinha, Curadoria Chef Miller
10h às 22h – Feira de Gastronomia
14h às 19h – Roda de Rua homenageia mestre Lagoinha
19h às 22h – DJ Camis Alves

Casa Cura

10h às 22h – Fluxo Galeria Urbana

Casa Rosa do Bonfim

18h – Sábado Rosa

Espaço Quintal do Sô Antônio – Hortelões da Lagoinha

Coletivo Sarau das Cachorras Apresenta Sarau das Abelhas
13h – Roda de conversa Natureza Urbana: onde está a natureza nativa da cidade?
15h – Programação infantil: Sarau Filhotes da Poesia
17h – Performance: Com a luz do entardecer Geni mergulha na Lagoinha
19h – Sarau das Abelhas apresenta performance Geni e poetas convidadas
21h – Noite do Hip-hop com música e graffiti

Universidade Popular do Som
12h – Feijoada do Nosso Samba

Domingo

Mirante Lagoinha
12h as 16h – DJ Black Josie
10h às 22h – Mercado de Comida de Rua – Lançamento do selo: Estômago da Lagoinha com, Curadoria Chef Miller
18h – Show de lançamento CD Noite de estreia, de Vini e Lucas
20h – Show Os Neguinhos
21h às 22h – Pat Manoese

Casa Cura
10h às 22h – Fluxo Galeria Urbana

Universidade Popular do Som
16h20 – Show Black Pio

Casa Rosa do Bonfim
8h às 23h – Levante: Festival Internacional de Mulheres em Cena

Centro Cultural Liberalino Alves de Oliveira
12h às 20h – Turbantaço Kizomba Cultural