PARIS - O documentário "Salafistas", que estreia esta quarta-feira (27) na França e contém imagens de violência do islamismo radical, foi proibido para menores de 18 anos, anunciou o ministério da Cultura.

Os cineastas François Margolin e Lemine Ould Salem apresentaram uma nova versão do filme à comissão de classificação etária do Centro Nacional de Cinema (CNC), que já havia se pronunciado inicialmente a favor da proibição para menores de idade.

A versão inicial do filme continha, em particular, imagens não "borradas" da execução à queima-roupa do policial Ahmed Merabet, vítima dos autores da matança na redação da revista Charlie.

"Salafistas" mergulha no mundo islamita mais radical no Mali, Mauritânia e Tunísia, sem narração ou comentários. O discurso dos islamitas é cruel e o documentário inclui fragmentos de vídeos de propaganda do Estado Islâmico.

Sua apresentação no Festival de Biarritz levantou polêmica porque foi considerado uma apologia ao terrorismo.