Os campings de composição já viraram uma tradição para os amigos Carol Biazin, Vitão, Day e Tiê Castro, além do coletivo Los Brasileiros. Desses encontros, nasce uma gama de músicas, que se tornam parte do repertório deles ou de outros artistas. Foi a partir de uma dessas reuniões que o grupo concebeu “Sempre que Der”, inicialmente “embrulhada para presente” a Ludmilla e Ferrugem, mas que sequer saiu de casa.

“Quando vimos que o caminho (da canção) estava da hora, pensamos: ‘Por que não tentar mandar para a Ludmilla e o Ferrugem?’. Se conseguíssemos o contato deles. Nem sei se chegaram a escutar essa música (risos). Mas se escutassem iam pirar demais. Só que no fim das contas, gravamos eu e o Vitor (Vitão). A música ficou guardada, chegamos a mandar para várias pessoas, porém, pensei que ela deveria fazer parte do meu trampo. Fazia mais sentido estar no meu projeto”, relata Carol.

E foi o que aconteceu. A dupla de amigos acabou gravando a música, cuja letra conta a história de um casal que está sendo destruído pela distância. Uma canção com uma pegada pop e referências de pagode e outros estilos, o que explica o porquê de o grupo de compositores tê-la imaginado nas vozes de Ferrugem e Ludmilla.

“A gente costuma fazer campings de composição, uma parada da nossa rotina. Estávamos no estúdio, fizemos o comecinho com violão, pensamos em melodias com algo mais atual. Talvez ela (a música) pudesse ter sido experimentada por alguém do pagode. Deixamos a imaginação nos levar”, declara Carol.

Carol

Amizade

No fim, a canção tomou outro caminho, tornando-se um atestado sonoro da amizade entre Carol e Vitão.

“Eu já era apaixonado por essa música, apaixonado pela voz da Carol e apaixonado por ela como artista. Acho a Carol uma das maiores cantoras que o Brasil tem hoje em dia. Temos uma amizade muito forte, e isso contribui muito para a música. Creio que a música fica muito mais verdadeira, ainda mais por termos escrito juntos. O sentimento fica verdadeiro”, diz Vitão. 

Carol corrobora. “Eu e o Vitor temos uma parada muito em comum, essa coisa de colocar a música em primeiro plano. A gente é muito musical. Por isso deu essa liga. Nossas vozes juntas causaram uma sensação muito boa, muito gostosa. Para a galera que vai escutar, vai ser um conforto ao ouvido delas”, comenta.