Neste ano, o Festival de Cultura e Gastronomia de Tiradentes, que acontecerá entre os dias 21 e 30 de agosto, trará, além de suas atividades já conhecidas e consagradas pelo grande público mineiro e brasileiro, algumas novidades interessantes, que consolidam sua maturidade e toda a sua evolução conceitual, como principal vitrine para divulgação de nossa cultura gastronômica para o mundo.

Depois de vários anos se dedicando ao culto da gastronomia internacional e à alta cozinha, especialmente de outros países, o evento vem se transformando ano após ano. Alguns anos se passaram após a sua criação para que o Festival assimilasse as tendências desenhadas nas primeiras ações de valorização da cultura culinária mineira e brasileira, ocorridos ainda no início dos anos 2000.

A Conspiração

Os primeiros e importantes passos para esta evolução se deram principalmente a partir de alguns movimentos do segmento, como a criação da Conspiração Gastronômica, as pesquisas de produtos e terroirs e o crescente interesse por novos ingredientes e produtos ainda pouco conhecidos nos grandes centros, e que passaram a ter presença obrigatória nas criações contemporâneas e autorais dos grandes chefs do país.

Quase que em cadeia, foram surgindo em todos os estados outros movimentos partindo de restaurantes, eventos, chefs e entidades, acelerando a percepção dessa tendência e dando esse novo direcionamento ao Festival de Tiradentes. Por sua vez, e na condição de mais importante evento do gênero no país, o Festival influenciou diretamente aos outros existentes, e também os novos.

Intercâmbio de chefs

Nesta edição, o Festival de Tiradentes levará para dentro de seus principais restaurantes festins realizados por chefs locais com convidados de várias regiões brasileiras, e a novidade será uma parceria que está sendo firmada com outro grande evento internacional: o Festival L’Etoile de Mougins, que acontece há 10 anos na França.

Neste ano, o L’Etoile trará a Tiradentes uma comitiva de profissionais composta pelos chefs Xavier Burelle (Hôtel de Mougins), Laela Mouhamou (La Brasserie de la Méditerranée), Emmanuel Ruz (Lou Fassum) e Serge Chollet (Le Moulin de Mougins). Dentre as diversas atividades, os chefs assinarão quatro dos jantares exclusivos e ministrarão algumas aulas.

Depois será a vez dos chefs brasileiros visitarem o evento francês no mês de setembro, e levar a eles um pouco mais sobre nossa cultura. Os profissionais mineiros que levarão os sabores de Minas para o Festival de Mougins serão: Fred Trindade (Trindade – Belo Horizonte), Léo Paixão (Glouton – Belo Horizonte), Ivo Faria (Vecchio Sogno – Belo Horizonte) e Rodolfo Mayer (Angatu – Tiradentes).